Posts com Tag ‘mulheres’

Antes de mais nada, quero agradecer ao pessoal que já fez comentários deixando informações sobre as academias em que praticam o Muay Thai. Então, como prometido, vou começar a postar o que estou recebendo.

Vamos lá, então:

– A Fabiana de São Paulo treina na academia Combat Sports. Segundo ela, uma das melhores no quesito artes marciais. Fabiana, só faltou você dizer se é São Paulo capital e qual o bairro.

– O Emerson Cordeiro, também de São Paulo, indicou a academia de Lutas Gracie Butantã, da tradicional família Gracie. Segundo o comentário do Emerson aqui no Muay Thai Mulher, “as aulas de Muay Thai são lotadas de mulher, média de 8 a 10 por treino em dias de semana. Todas podem fazer uma aula grátis para experimentar e são muito bem recebidas pelos professores Thiago “Beowolf” e Gilmar “China” Sales”. Fica aí  a dica! Aliás, valeu pelas palavras Emerson! Que bom que você curtiu o blog.

– A Fernanda Araújo conta que é deficiente auditiva (tá aí outro incentivo pra você que acha que não dá. Siga o exemplo da Nanda!) e que pratica na Academia Champions Factory, no Rio de Janeiro (com duas filiais: Copacabana e Barra da Tijuca). Ela treina com o Mestre Artur Mariano. A Fernanda diz que “a filial de Copacabana tem horários voltados para mulheres praticarem (terça e quinta das 19h até 20h). É muito bacana e lá faz novas amizades e de vez em quando, rolam churrascos com a turma.”

– O grande Mestre Guilherme Bringel também deixou seu recado. Ele dá aulas na academia Four Fitness, na Rua das Laranjeiras 82, em Laranjeiras.

Esses são só os primeiros. Você também pode compartilhar com a gente informações sobre sua academia. Estou contando com a sua participação!

Quando comecei a escrever este blog, logo me pediram para fazer um post sobre academias de Muay Thai e, principalmente, as que ofereciam aulas experimentais. Aí, fui buscar a informação. Porém, com o passar do tempo, passei a receber vários comentários de outros lugares do país e veio a constatação: não é justo fazer indicações de academias apenas no Rio de Janeiro. Então, tive uma idéia:

Quero fazer uma proposta para meus leitores do Muay Thai Mulher. Quero fazer um post em conjunto com vocês. Indiquem os seus locais de treinamento. Falem dos seus mestres. Vocês têm amigos que treinam em outras academias? Conte pra mim também.

Poderia fazer a minha lista aqui das academias cariocas: Universo Atlético, em Botafogo; o ClubSix, na Tijuca, a tradicional Delfim, e outras… Mas todas no Rio. Por isso, eu penso que seja legal contar com a sua colaboração para a gente fazer uma relação bacana de locais de treinamento e de opiniões para servir, quem sabe?, de referência para quem está querendo começar. Você do Rio de Janeiro pode colaborar também. Claro! Mas quero a participação de todo mundo!

Deixe seu comentário com as informações, eu monto o post e publico aqui no Muay Thai Mulher. Vamos lá, hein?! Espero sua participação!

A cada dia que passa eu constato que o Muay Thai, de fato, chegou para ficar no universo das atividades físicas para mulheres. Seja na mídia ou mesmo vendo o movimento nas academias, a participação das mulheres nas aulas de luta é um movimento que não parece ter volta. Nós descobrimos os benefícios que esses exercícios podem trazer e viemos para ficar.

Quando comecei a praticar Muay Thai, lá pelo distante ano de 2001, como já disse aqui, assustava as pessoas ao dizer que fazia Boxe Tailandês. Perguntavam se eu não me machucava muito, se não tinha medo, se não ficava roxa. Essas coisas esteriotipadas que as pessoas tendem a perguntar quando não conhecem um assunto. Mas o tempo passa. Atualmente, ao dizer que faço as aulas, sempre encontro alguém querendo detalhes, dizendo que tem vontade de fazer ou mesmo que diz: ‘Eu faço também!’.

Por isso, hoje, eu trago mais um depoimento para mostrar isso que estou descrevendo para vocês. Quem vai contar a sua experiência com o Muay Thai é a Eliane Peixoto, produtora do Programa Show do Antonio Carlos, que trabalha comigo lá na Rádio Globo. Conversávamos casualmente, quando comentei que praticava e ela disse: ‘Eu também!”. Então, tá aí, mais uma a provar a febre que o Muay Thai é para mulheres.

Muay Thai Mulher: Há quanto tempo e onde você faz as aulas de Muay Thai?
Eliane Peixoto: Faço há 03 meses, na Academia ProFit, no Centro, com o mestre Wilson.

MTM:  Como você descobriu o Muay Thai?
E.P: Por curiosidade. Estava na academia fazendo ginástica localizada e resolvi assistir uma aula de Muay Thai para ver qual era, já que eu nunca tinha visto/assistido esse tipo de luta. Fiquei encantada. Participei da primeira aula de curiosidade. A partir daquela data, desisti das aulas de ginástica localizada e montei uma nova grade na academia, onde só tem  Muay Thai.

MTM: O que te motivou a começar as aulas?
E.P.: Foi paixão pelo mestre. Um cara centrado e de muita luz. Ele aplica as aulas com amor, sem discriminação entre homem e mulher, mas sabendo que nós, meninas, somos sexo frágil, sim.

MTM:  O que você mais gosta no treinamento?
E.P.: A forma respeitosa que a luta é feita. Homens e mulheres se misturam num ritmo de aprendizagem/defesa e não de luta/briga.

MTM:  O que o Muay Thai fez por você? Quais benefícios ele trouxe para sua vida?
E.P: Me deixa tranqüila. Quando termino as aulas (faço de segunda a sexta) me sinto aliviada, leve…

MTM: Por que você indica o Muay Thai para as mulheres?
E.P.: Porque é uma luta q mexe com todo o corpo. Meu corpo deu uma moldada em curtíssimo tempo. Não gosto de musculação, mesmo nunca tendo feito.  Vi um resultado rápido no Muay Thai. Inclusive, pra mim, é também uma terapia.

MTM: Eliane Peixoto, muito obrigada pelo seu depoimento. Mil beijos!
E.P.: Bj,bj,bj,bj,bj,bj,bj,bj,bj,bj,bj,bj…

Viu? Mais uma que aderiu aos encantos e benefícios dessa atividade física fantástica! Você pode conferir o trabalho da Eliane, de segunda à sábado, das 6h às 9h da manhã, no Show do Antônio Carlos, na Rádio Globo (AM 1220 e FM 89,3).

E você? Quer dar seu depoimento também ao Muay Thai Mulher? Deixe seu comentário que eu entro em contato!

É isso mesmo! Se seu objetivo é ter sucesso no campo da estética e do condicionamento físico, é mais do que importante que você preste atenção a esses dois fatores. A temperatura da sala e a sua hidratação devem sempre ser levadas em consideração. Isto porque ambos interferem diretamente no seu rendimento e na sua saúde!

É corrente, entre profissionais de educação física e especialistas em condicionamento físico, que existem condições ideais para que seu corpo tenha o melhor rendimento. Seja em um treinamento de peso ou aeróbico. Se você está acostumado com academias e suas salas de ginástica ou de musculação sabe que, na esmagadora maioria dos casos, estes espaços contam com um ambiente refrigerado e mantido em uma certa temperatura.

Se você nunca teve curiosidade de perguntar aos seus professores o porquê disso, eu vou te contar. Não é pelo seu conforto e nem para que sua mensalidade tenha um preço maior por causa da conta de luz. Os ambientes são assim para que seu corpo possa aproveitar o máximo do exercício, eliminando, através do suor, toxinas, substâncias indesejadas, queimando gordura; e não perdendo nutrientes e sais minerais, o que certamente acontece se você estiver se exercitando em um ambiente com temperatura elevada.

Quando seu corpo é submetido a alguma atividade intensa, naturalmente, sua temperatura corporal aumenta. Se o ambiente ao seu redor for quente, sua temperatura interna será maior e, por consequência, você estará eliminando coisas que não interessam. Por isso, a tendência é que os ambientes sejam climatizados para que seu suor seja produto de sua temperatura interna e, portanto, coloque pra fora apenas o que não é bom: toxinas, gorduras, excesso de líquido…

Água, nosso líquido mais precioso.

Água, nosso líquido mais precioso.

Acontece que se na maior parte das academias as salas de musculação, de ginástica e de areóbicos são climatizadas, o mesmo não acontece nas salas dedicadas às lutas. Se a sua tem, agradeça. A minha, não! No verão, a gente transpira mesmo e até quando o dia está em uma temperatura normal, a gente transborda de suor também.

Então, se você pratica Muay Thai (ou outro tipo de luta ou de atividade) em um tatame sem climatização, vai aqui um conselho do Muay Thai Mulher: mantenha-se sempre, sempre, hidratada. Beba bastante água (se possível, gelada para dar uma acelerado no seu metabolismo) durante seu treinamento e também durante o dia. Certfique-se de ter uma garrafa por perto e não deixe de consumir este líquido precioso que será um grande aliado, não só no seu treino, mas também na sua vida.

Beber bastante água faz bem por muitos motivos. Um deles é porque ele te ajuda a não reter líquidos, ainda mais se você é como eu e tem esta, desagradável, tendência. O raciocínio é que quanto mais hidratada você estiver, mais equilibrada estará sua temperatura interna e mais oferta de água suas células terão, obrigando-as a eliminar o excesso de líquido. Assim, o que sai é apenas o desnecessário, o que deve ser eliminado. O essencial fica! Adotando este saudável hábito, seus ganhos serão no seu treinamento, provavelmente no seu peso (pois sua sensação de inchaço será menor) e até na sua pele.

Faça o teste! Beba mais água durante o dia e no seu treino e me conte como você está se sentindo. Quero saber, hein!

Hoje, eu tenho o maior orgulho de trazer para vocês uma entrevista com um dos grandes nomes do Muay Thai no Brasil. Uma referência, um estudioso e um divulgador do esporte. Porém, melhor do que falar sobre ele, é apresentá-lo de vez para vocês. Fiquem com as respostas que o Mestre Guilherme Bringel, gentilmente, deu às minhas perguntas. Ao Mestre, todos os meus agradecimentos. A vocês, meus leitores, deixo a sabedoria e os conselhos dele. Aproveitem!

Muay Thai Mulher: Mestre Guilherme, você é professor, um estudioso e um divulgador do Muay Thai há muitos anos no Brasil. Antes de mais nada, conte um pouco da sua história neste esporte?

Mestre Guilherme: Olá Alessandra. Em primeiro lugar, obrigado pela oportunidade de mais uma vez divulgar o Muay Thai, o que venho fazendo há mais de 20 anos. Seu blog é excelente e, sempre que posso, passo pelo blog para ler as matérias e entrevistas.

Bom, eu tenho experiência de 34 anos em Artes Marciais e como a maioria das pessoas que treinam, comecei treinando Judô com 8 anos de idade. Treinei por alguns anos e depois passei para o Karatê Shotokan que treinei por mais ou menos 2 anos. Após isso, eu treinei diversas Artes Marciais como Taekwondo, Capoeira, Jiu-Jitsu, Aikidô, etc, até que comecei a treinar Kung Fu estilo Hung Gar, época essa que conheci pessoas como o André Benkei, o Paulo (Fundador do Kombato), etc. Treinei Kung Fu Hung Gar e posteriomente Wing Chun por muitos anos com o Prof. Marcos Vinicius e com o Mestre Li Hon Ki.

O Mestre Li Hon Ki treinou durante muitos anos Muay Thai, em Hong Kong, tendo aprendido muito desta Arte Marcial e, posteriormente, passou muitas técnicas para seu aluno, Marcos Vinicius, que me ensinou o que sabia de Muay Thai. Após muito anos de treinamento de Hung Gar, Karatê Kyokushinkai (com Shihan Matsuro Megumi) e Muay Thai, entrei em contato com alguns Ajarns (Mestres)  tailandeses fora do Brasil para aprimorar minhas técnicas. Por sorte, fiquei amigo do falecido Nanfah Seharadecho (um antigo campeão tailandês de Muay Thai) e ele me ajudou a treinar e a entrar em contato com outros Mestres. Tornei-me aluno do Ajarn Surapuk da MTAA nos EUA e através dele consegui viajar 2 vezes para treinar Muay Thai na Tailândia. Fui um dos primeiros brasileiros a viajar para a Tailândia para treinar Muay Thai, fui o primeiro brasileiro a ficar no corner de um lutador tailandês durante uma luta e o meu site de Muay Thai foi o primeiro site brasileiro voltado exclusivamente para o Muay Thai. Hoje em dia, a maioria dos sites nacionais de Muay Thai usam textos que originalmente eram do meu site e foram escritos por mim, mas, infelizmente na Internet é dificil manter um texto sob controle e todos acabam apropriando-se deles. Mas, aos poucos, estou modificando meu site e novidades vem por aí.

BLOG: O Muay Thai é praticado por mulheres há pouco tempo, ou não? Você, que já visitou muitos lugares do mundo, como observa a relação delas com a luta? Existe algum impedimento para a mulher praticar o Muay Thai?

MGB: Sim, o Muay Thai principalmente no exterior é praticado há várias décadas. Na Tailândia, é muito comum ver mulheres treinando nos campos tailandeses e também lutando em diversos torneios e estádios. Anualmente, na Tailândia, existe um torneio famoso chamado de Kings Cup que é a Copa do Rei, ou seja, um torneio em homenagem ao Rei da Tailândia. Por conseguinte, também existe um torneio chamado Queens Cup onde somente as melhores lutadoras de Muay Thai do mundo lutam. Eu, na Tailândia, conheci diversas lutadoras da Inglaterra, Suécia, EUA, etc, e todas lutavam muito bem e tinham um excelente preparo físico não devendo nada a qualquer lutador do sexo masculino.

Já no Brasil existe um certo preconceito por parte da sociedade e até de muitos lutadores de que se uma mulher procura as Artes Marciais em geral ela vai ficar masculinizada e violenta, o que não é verdade de maneira nenhuma. Sempre tive alunas mulheres nas academias que dei aulas e elas sempre adoraram treinar Muay Thai e nem por isso mudaram de comportamento ou tiveram qualquer outro problema.

BLOG: O Muay Thai é uma atividade que exige muito do corpo inteiro e muitas mulheres estão praticando a luta como exercício para entrarem em forma. Elas buscam tonificar braços, perder barriga, endurecer o bumbum… Então, quais seriam os movimentos que fazem mais pelas mulheres?

Hoje em dia existe uma certa “moda” de praticar o Muay Thai para se ter um melhor condicionamento físico, inclusive com diversas modelos, atrizes e apresentadoras de televisão praticando o Muay Thai. Na verdade o Muay Thai é uma excelente forma de condicionamento físico e também de defesa-pessoal para a mulher. A maioria das mulheres que treinam Muay Thai segundo me relatam, não aguentam fazer uma aula de ginástica tradicional por ser repetitiva ou por não gostarem mesmo e acabam por optar por fazer uma Arte Marcial.

Acredito que não existam movimentos que sejam melhores do que outros para o condicionamento global da mulher. O Muay Thai se utiliza de socos, chutes, joelhadas e cotoveladas em seus treinos e executar corretamente essas ténicas exige muito do físico fazendo com que o corpo seja trabalhado de forma global. No momento, eu tenho algumas alunas particulares de Muay Thai e as mesmas estão desenvolvendo um otimo condicionamento físico, perdendo peso e aprendendo também a se tornarem mais confiantes por aprenderem também defesa pessoal.

BLOG: O Muay Thai é um esporte de contato e, mesmo não sendo violento, pode causar algumas lesões. Que medidas ou que precauções a mulher que pratica, ou que quer praticar, o Muay Thai deve tomar?

Realmente, o Muay Thai é uma Arte Marcial de contato e também é considerada como sendo uma das lutas mais contundentes do mundo. Mas isso difere um pouco para as pessoas que praticam o Muay Thai apenas por esporte, porque gostam de Artes Marciais ou que treinam também para melhorar seu condicionamento físico. Como método de condicionamento físico o Muay Thai praticamente não apresenta riscos para as mulheres, pois o treino, neste sentido, quase não tem contato fisico pleno, diferente do treinamento voltado para campeonatos.

Geralmente, para condicionamento físico, a mulher vai usar equipamentos de treino como saco de boxe, aparador para socos, Pao (aparadores para chutes), cordas para pular, etc, além é claro de exercícios fisicos. Se a aluna também tiver interese em aprender a lutar, ela passará a treinar também técnicas com um companheiro(a) e poderá fazer sessões de sparring usando equipamento protetor (protetor de cabeça, luvas, caneleira, etc). Claro que mesmo usando equipamento protetor as sessões de sparring serão sempre controladas para que não possam ocorrer lesões.

BLOG: Qual a sua orientação final e conselho para as mulheres, de todas as idades, que querem fazer o Muay Thai?

A minha principal orientação é que as pessoas que desejem praticar Muay Thai procurem professores realmente capacitados e que tenham realmente experiência nessa Arte Marcial. Eu recebo muitos emails de mulheres querendo informações sobre professores e academias onde possam praticar o Muay Thai. A minha orientação inicial é que a interessada procure um professor com bastante tempo de prática e experiência em Muay Thai e se possivel que ele seja filiado a alguma federação ou Confederação de Muay Thai. Também insisto que a mulher faça uma aula experimental para ver se ela se sente à vontade na aula com o professor, pois sempre deve haver uma sintonia entre professor e aluna(o), ou para ter certeza que a Arte Marcial que ela deseja praticar é realmente o Muay Thai.

Outra questão que deve ser bastante enfatizada é que Muay Thai não é só “porrada”, o Muay Thai tem tradições próprias da cultura tailandesa, assim como também a sua filosofia. A principal tradição do Muay Thai é o respeito ao seu semelhante, ou seja, respeito pelo seu professor, companheiros de treino, respeito a família, etc. Enfatizo isso pois, infelizmente, muitos professores pelo Brasil seguem somente o lado Marcial do Muay Thai e esquecem da sua tradição, o que é lamentável.

Quanto a idade, não existe nenhuma limitação de idade para a pratica do Muay Thai. Eu mesmo ja tive alunos de 6, 7 anos de idade e outro de quase 60 anos, assim como uma aluna de 40 anos. Conheço praticantes de outros paises que tem mais de 70 anos e continuam praticando.

E quanto a questão Mulher e Muay Thai, não se sintam constrangidas em procurar uma academia de Muay Thai para treinar. O Muay Thai é uma Arte Marcial excepcional e uma forma de condicionamento fisico realmente eficaz. Não liguem para o preconceito e sigam em frente. Venham aprender e treinar Muay Thai, com certeza sua qualidade de vida será bem melhor.

BLOG: Quem quiser mais informações sobre este fabuloso esporte é só visitar a página do Mestre Guilherme Bringel. Mestre, estou muito honrada com esta entrevista e agradeço demais por seus esclarecimentos. Muito obrigada! Muay Thai!

MGB: Quem tiver mais alguma duvida e quiser entrar em contato comigo meu email é: krumuaythai@gmail.com
Obrigado mais uma vez pela oportunidade Alessandra e muito sucesso com seu excelente blog.

Gente… quando eu falo!!!

Hoje, mais uma vez lendo o jornal, percebo que as academias abraçaram o boxe (seja ele tradicional ou o Tailandês) com toda força no que toca aproveitá-lo como atividade física voltado, especialmente, para as mulheres.

O que li na manhã deste domingo, na Revista da Tv, do jornal O Globo (obs.: não é propaganda, é porque sou assinante), era para ser mais uma matéria (Até debaixo d’água, de Isabela Caban) sobre novas atividades que as academias oferecem para a galera entrar em forma no verão. Eis que no subtítulo, vou lendo as novidades e encontro: boxe aquático! Corri rapidamente as linhas da matéria até chegar aonde queria. Lá estava.

Então, vai aí, mais uma dica para você que quer começar a praticar e ainda está na dúvida. Seja o boxe ou o Muay Thai para mulheres, você pode tentar uma atividade mais leve que já tenha os movimentos. A tentativa te dará uma noção do que é o esporte e assim pode ajudar na sua decisão de fazer as aulas pra valer.

De acordo com a matéria, existem dois tipos de aula: o Boxe aqua trainning e o Hydroboxe. No primeiro, você faz 30 minutos na sala de aula e depois mergulha na piscina para mais meia hora de socos e chutes dentro d’água. Imagino que dever ser legal, porque a resistência da água torna os movimentos mais lentos e, portanto, mais pesados.

Já na segunda opção, o treino é feito todo dentro d’água e dura 50 minutos. O aluno conta com os acessórios utilizados em um treino tradicional, como luvas e caneleiras (mas em um formato diferente) e faz todos os movimentos como se estivesse no tatame. Também, devido à resistência da água, o peso das movimentações é maior e quanto mais rápido o aluno fizer as repetições, melhor será seu desempenho.

A matéria aponta a academia Estação do Corpo, na Lagoa (RJ) como a precursora desses treinamentos, mas, com certeza, com o verão se aproximando, em breve, você encontrará essas aulas em uma academia perto de você. Então, fique esperta!

Você já fez algum tipo de treinamento alternativo com os movimentos do Muay Thai? Ou mesmo essas aulas citadas no post? Como foi? Conte!

Você já está nas aulas de Muay Thai faz um tempinho e vê que alguns alunos têm uma espécie de corda amarrada no braço e elas têm cores diferentes. Admitindo que você não sabe do que se trata (até mesmo por que já me perguntaram sobre o meu em um treino), vou te contar o que é: aquela corda é um Kruang, ou a graduação referente ao nível do aluno.

Quando comecei a fazer, a Liga Carioca (a qual meu professor pertence e, portanto, eu também) adotava uma graduação como a do judô ou do jiu-jitsu; ou seja, uma faixa. Porém, as cores não eram iguais.

Conforme o Muay Thai foi se popularizando, a Liga adotou de vez toda a indumentária tradicional, com o short e o Kruang. A hierarquia das cores, porém, obedece a mesma das faixas: branca; vermelha; vermelha ponta azul; azul; azul ponta azul escuro; azul escuro; azul escuro ponta preta e a preta. O seu professor deve usar uma preta e branca, aquilo significa que ele é exatamente o que é; ou seja, seu mestre!

Conquistar um desses não é, de fato, uma tarefa fácil, mas também não é tão horrível quanto você possa imaginar. Lembre-se, você não é obrigada a fazer os exames, porém se seu professor já andou sondando é porque ele acredita nas suas condições.

Exame

Exame do Muay Thai, realizado em dezembro de 2009

O exame, geralmente, reúne alunos de muitas academias e como você já deve imaginar o grau de dificuldade aumenta conforme a graduação. Mas, basicamente, você terá que mostrar o que aprendeu no tatame.

Existe uma parte física, em que você vai ter que correr, fazer abdominais e outros aquecimentos. Depois será pedido que você execute movimentos que aprendeu em seqüências, como: jab, direto, chute lateral e pisão rodado. Ou, sei lá; jab, direto, cruzado, giratório de mão, cruzado e joelhada… Enfim, os professores ‘cantarão’ o que deve ser feito.

Em seguida, devem vir atividades em dupla, depois algum tipo de combate e quando acontece, fique tranqüila, você estará usando as proteções necessárias. Não fique tensa, você será mais um a provar que o Muay Thai também é para mulheres!

O importante é que você não tenha medo. Converse com seu professor para sentir mais segurança. Ele vai te dar mais detalhes e poderá falar sobre o que espera do seu desempenho. Aí, então, a decisão é sua! E eu espero que sua opção seja por fazer. Depois de todo o sacrifício, a satisfação de se conquistar o kruang é incrível, além de dar a confiança de que se passamos por isso, conseguimos fazer qualquer coisa.

Depois do exame

Eu com os professores/avaliadores no final do exame.

Óbvio que, como disse antes, a dificuldade vai aumentando com o tempo. Mas, com o tempo também, você terá mais treinamento e mais conhecimento e, certamente, estará preparada para continuar. Comigo foi assim. Tenho certeza de que com você também será!

Você já fez algum exame? Como foi? Ainda não fez? Está com medo? Conte!

Como estamos no domingo, vou continuar falando de assuntos leves… Na verdade, vou complementar o post de ontem.

Às vezes, tenho a sensação de que estou cercada de assuntos sobre boxe e Muay Thai por todos os lados, principalmente com relação a sua prática pelas mulheres. Pipocam na mídia, como relatei ontem, matérias sobre famosas que usam a luta para manter a boa forma.

Fiorella Mattheis treina Muay Thai

Fiorella Mattheis treina Muay Thai. Reprodução: Revista da TV, O Globo.

Hoje, para minha surpresa, abri o jornal e lá estava, na Revista da TV, do ‘O Globo’, na coluna da Patrícia Kogut, mais uma celebridade revelando usar o boxe para manter a forma. Se ontem falamos da Geovanna Tominaga, dessa vez, a parceira do programa Vídeo Show, Fiorella Mattheis, contou que está fazendo aulas há um mês e que está adorando o resultado.

Tá vendo? Mais uma para acrescentar a lista. Em tempo, uma piadinha me ocorre: com a Geovanna e a Fiorella fazendo boxe tailandês, não quero nem imaginar se um dia tiver briga nos bastidores do programa!

Embarcando na piadinha: Quem vocês acham que venceria?

Geovana no Mais Você. Captação de vídeo.

Geovanna Tominaga com Ana Maria Braga

Esta semana quase todos os meus amigos vieram falar comigo sobre a participação da apresentadora do Vídeo Show, Geovanna Tominaga, no Mais Você, de Ana Maria Braga, falando sobre Muay Thai.

A participação foi no programa de segunda-feira, e a moça levou seu professor para falar do esporte, contou por que pratica e até a Ana Maria Braga se arriscou a dar uns chutes e socos.

Isso só vem mostrar o que venho falando há muito tempo para meus amigos e, depois, aqui no blog sobre a eficiência do treinamento de Muay Thai para as mulheres.

Sandy fala sobre boxe

Sandy fala sobre boxe no Sensei SporTv. Divulgação.

Se você – assim como eu – perdeu essa, pode conferir o vídeo no site do Mais Você. Porém, neste sábado, no programa Sensei SporTv, do SporTv, que vai ao ar às 23h30min, quem vai falar de boxe e por que está praticando é a cantora Sandy. Ela vai contar que adora Ultimate Fighting e que começou a fazer aulas por influência do marido. Sandy já pratica há três anos. Ou seja, mais uma que curtiu. Mesmo não sendo o boxe tailandês (Muay Thai), é uma atividade afim…

Aliás, a lista de celebridades que já praticou, ou que pratica, é longa. Além da Júlia Tolipan, do AfroReggae, que a gente entrevistou aqui, e das duas citadas anteriormente, podemos falar também de Ivete Sangalo, Angélica, que já treinou para uma matéria, da atriz Christine Fernandes (que inclusive apresentou um projeto para a Globo de esportes voltado ao público feminino) e por aí vai…

Ou seja, mais exemplos para você seguir!

Quer acrescentar mais alguém a lista? Sabe de outras celebridades que curtem o Muay Thai? Conta aí…

Quando fiz o post sobre equipamentos necessários para serem utilizados na aula de Muay Thai e para serem de uso do aluno, falei rapidamente sobre as ataduras. Hoje, vou dedicar um pouco mais de atenção a esse material importante.

Assim que você pisar no tatame, na sua primeira aula, o seu professor vai te ensinar a colocá-la nas mãos. Se você faz há muito tempo, já sabe como colocar. Porém, dependendo da intensidade do seu treinamento, você pode estar machucando os nós dos dedos sem perceber por estar usando a atadura errada, ou de forma errada.

Então, você mulher, seja iniciante ou veterana nas aulas de Muay Thai, vale ter atenção com as suas ataduras. Vejo muitas meninas machucando os dedos por conta de não protegerem corretamente as mãos. Em primeiro lugar, você deve perceber se está fechando a mão corretamente para socar. Lembre-se, não é um cascudo, é um soco. Portanto, o punho deve estar totalmente cerrado e o polegar para dentro.

O que acontece é que, muitas vezes, a aluna enrola muito mais a atadura na parte superior da mão acreditando que  assim evitará um machucado. Erro duplo. Primeiro, porque você não vai conseguir fechar a mão. Segundo, por que seu punho ficará desprotegido e, durante a execução do soco, você pode dobrá-lo, sem querer, e aí sim, se lesionar de verdade.

Se você soca forte, então, é legal aprender a cruzar a atadura entre os dedos. Vai cobrir os nós e vai te dar mais firmeza. É assim que eu faço. É assim que lutadores profissionais fazem. Pode perceber. Além disso, ajuda a fechar a mão melhor.

Outro detalhe importante é usar a atadura com firmeza. Ela não deve estar muito apertada, mas também não pode estar muito solta na mão. Ela deve ficar firme no punho, ainda mais se você tem tendência a machucar essa área. Como eu, por exemplo, que tenho o popular “punho aberto”. Aliás, fazer exercícios de musculação para reforçar esta área é muito interessante. Converse com seu professor se você sente algum desconforto na área.

Existe também a questão da atadura de pano e da atadura comum. Eu já treinei com as duas e prefiro usar a comum. Ambas têm seus prós e contras. A atadura de pano dura mais e é esteticamente mais atraente. Depois da aula, você lava, põe para secar e ela está pronta pra outra. Mas, o velcro vai se acabar logo e você deve comprar uma do tamanho ideal para sua mão. Vejo muitas meninas no treino, parando a toda hora para acertar a atadura, porque ela vai afrouxando e desenrola. Quando usei, ela me incomodava bastante.

As ataduras comuns acabam logo, é verdade. Depois de algumas aulas, você vai ter que trocá-las (não esqueça de pendurá-las depois da aula!), porque elas vão se desgastando naturalmente. Porém, são baratinhas. Além disso, se ajustam melhor entre os dedos e, por conseqüência, às mãos, e cabem melhor na luva.

Você deve escolher a que melhor se adapta ao seu estilo. Mas tenha segurança com elas e as coloque corretamente. Se você ainda tem dificuldade, não se acanhe em pedir ajuda a uma companheira mais graduada ou mesmo ao seu professor.

Outro truque bom para evitar aqueles machucadinhos que podem acontecer nos dedos é colocar esparadrapo nas falanges. Isto também vai te dar mais segurança para bater bem, te ajudando a colocar para fora todo o seu estresse.

Você tem alguma dica de treinamento? Compartilhe!