Posts com Tag ‘equipamento’

Eu durante a minha aula de Muay Thai. Observe o uniforme.

Eu com o uniforme do Muay Thai.

Vou começar este post aqui no Muay Thai Mulher fazendo de cara uma confissão: adoro treinar no saco de areia. Principalmente, quando estou cansada, por que posso dosar meu ritmo sem prejudicar ninguém. Além disso, posso dedicar minha atenção a alguns movimentos que acho que devem ser aprimorados.

Dito isso, explico o porquê do tema: semana passada, como acontece quase sempre, recebemos mais alunas novas na turma. Ao chegarem, óbvio, elas (ou eles) merecem toda a atenção do meu Mestre, que ensina os princípios e movimentos básicos do Muay Thai, enfatizando a posição dos pés, quadris, como socar etc. Às vezes, quando a sala está muito cheia e ele precisa voltar sua atenção para outros alunos, me pede para ajudar e eu treino com os mais novos. Coisa que, aliás, adoro!

Tive a oportunidade, então, de treinar no saco com duas alunas: uma mais antiga e outra mais nova e durante o treinamento pude passar para ambas a importância de usar este equipamento. A aluna mais nova, claro, parecia ter medo do aparelho e eu a incentivava a socar corretamente com mais força ‘por que o saco não reclama’, dizia para ela.

Eis aí a primeira finalidade do saco de areia: tirar o medo do golpe. Nele você pode testar sua precisão, avaliar sua potência e bater o mais forte que puder. Alivia a tensão, certamente, mas vai dar a você uma consciência corporal, além de mostrar quais socos são mais fortes e quais ainda têm que ser aprimorados.

Pude mostrar a essa aluna também, com calma, as posições e os movimentos corretos para os pisões e para os socos, repetindo cada um e mostrando como o saco respondia quando a execução era certa e quando era errada.

Já a outra aluna mais antiga logo foi me perguntando qual a finalidade de treinar no saco de areia. Percebi que muita gente não entende a necessidade desta atividade e me propus a falar sobre o assunto para ela e no Muay Thai Mulher. E o que expliquei foi que este treino faz você:

– Ter noção da sua potência (como havia falado para a outra aluna);
– Corrigir seus movimentos;
– Treinar velocidade junto com a força;
– Treinar o ‘timing’ das sequêcias dos golpes, especialmente se não há ninguém segurando. O saco de areia vai responder a intensidade dos seus socos, chutes e pisões retornando para você, nessa hora seu objetivo será encontrar a hora certa de entrar e sair e de retomar o ataque;
– Treinar em rounds, ajudando no seu condicionamento aeróbico e ensinando controlar o seu ‘gás’.

Ah! Lembre-se das ataduras e das luvas, seja a específica para o saco de areia ou a de luta mesmo. Evite ferir seus dedos pois, geralmente, a couraça do saco (dependendo do seu peso) pode machucar.

Assim, se você nunca treinou ou se não gosta de usar o saco de areia, pense duas vezes antes de implorar ao seu professor para não fazê-lo. Tente uma vez e tenho certeza de que vai gostar. Além de aliviar seu estresse (sempre dou a dica para pensar naquela pessoa que te estressou muito durante o dia. Imaginar que ela está ali e descontar no saco, claro) é um exercício ótimo sob todos os aspectos.

Você gosta de treinar no saco de areia? Qual o seu treinamento preferido? Conte aqui no Muay Thai Mulher, de repente é um dos meus também!

Neste domingo, algumas de minhas amigas e companheiras de treino estarão fazendo mais um exame de graduação no muay thai. Tenho andado muito ocupada com meu trabalho e, aproveito para pedir desculpas para vocês leitoras, tenho tido pouco tempo para me dedicar aos posts do Muay Thai Mulher, mas uma dessas minhas companheiras de treino, que estará no exame, me fez uma cobrança: dicas para passar por este dia importante. Então, não posso deixar de atender o pedido.

Amigas (e amigos também) a dica mais importante que eu posso deixar para vocês que vão fazer um exame para ganhar o seu primeiro kruang ou para mudá-lo de cor é: confiem no seu mestre. Não pense por um instante sequer que você não merece estar ali. Ele passou um ano te observando e sabe das suas capacidades. Portanto, você está onde tem que estar.

Outro detalhe psicológico fundamental: acredite na sua capacidade. Se seu comprometimento com o treinamento foi sério, se houve dedicação e empenho da sua parte, não há o que temer.

Sobre o exame especificamente, o que eu posso reforçar é aquilo que o seu mestre já deve ter falado bastante, mas é sempre bom lembrar:

Não esqueça seu equipamento: Luvas, ataduras, protetor bucal, caneleira e o uniforme são essenciais no exame. Caso você não possua alguns destes materiais tente pedir emprestado. Às vezes, seu professor pode ceder, mas não vá confiando nisso.

Tenha postura: não chegue para fazer o exame com cara de derrotado. Concentração, ombros erguidos e atitude contam pontos;

Atenção nos comandos: Fique atenta às ordens dos mestres. Ouça bem e evite se precipitar. Se você estiver com dúvidas sobre o movimento a ser executado, observe os outros alunos.

Informe qualquer lesão: antes do exame começar informe aos responsáveis sobre possíveis lesões que você tenha, pois ela poderá prejudicar o seu desempenho e os avaliadores podem tirar pontos caso não tenham conhecimento do problema.

Dose sua energia: dependendo da cor do kruang para a qual você está prestando seu exame, o teste será mais puxado. No princípio, deve acontecer a parte física, depois uma série de sequências, seguida de movimentação em dupla, finalizando com uma luva. Por isso, saiba colocar a energia e força necessária para cada etapa.

Não tenha medo de bater, nem de apanhar: Lembre-se que você está prestando um exame com outras pessoas que também têm o mesmo objetivo que o seu. Então, quando fizer luva, entenda que é um momento de avaliação para ambos e a pessoa vai querer te acertar, assim como você. Portanto, sem medo!

Firmeza sempre!: Durante as sequências ou a luva mantenha a expressão concentrada, guarda alta e fechada e execute os movimentos de maneira correta. Não soque à toa, nem chute sem objetivo. Pense na sequência, no seu espaço e observe a sua oponente.

Não desista!: Você vai ficar cansada. Vai querer parar. Vai sentir dores em lugares e em músculos que você nem sabia que tinha. Mas vá até o fim! Quando sentir que não está aguentando, foque no seu objetivo. Neste momento especial e único. É um esforço, sim! Um sacrifício, sim! Mas quando acabar e seu kruang estiver no seu braço, tudo terá valido a pena.

O que mais posso dizer é que você deve confiar em si mesma porque é capaz! Você se preparou e vai mostrar o que sabe, portanto não tem o que dar errado. Para quem vai fazer exame, assim como minhas companheiras, boa sorte!

Quero saber dos exames de vocês? Como foi? O que sentiram? Divida a sua experiência aqui no Muay Thai Mulher, ela pode ser motivadora para alguém!

Bem galera, como prometido, vou seguir com a série de posts sobre as verdades e mentiras que dizem e que se ouve sobre o Muay Thai, principalmente, de quem não pratica e muito menos conhece o esporte, e apenas acaba replicando coisas que alguém disse, por que alguém comentou, que alguém viu… Enfim, são aquelas histórias que se espalham e acabam ganhando status de verdade sem nenhum fundamento.

Já falei sobre isso (aliás, falo sempre) aqui no Muay Thai Mulher, mas vou aproveitar um comentário da leitora Isadora, que diz estar louca para começar a treinar, mas que ouve as pessoas dizendo que ela vai se machucar e aí perde a coragem. Então, como nunca é demais repetir, vamos lá:

Vou me machucar praticando o Muay Thai? Mentira! Lembre-se, seu objetivo aqui não é a competição, e sim o treinamento. Mesmo quando há simulação de combate, todos os equipamentos de segurança são utilizados, além, claro!, da supervisão do seu professor. Os riscos são os mesmos que você teria, praticado qualquer outro esporte. Porém, tenha em mente que o Muay Thai não é ballet, não é Tai-Chi. Muay Thai é uma luta, portanto, haverá contato e impacto.

Você poderá ficar roxa e dolorida eventualmente, sim, verdade; contudo, nada que te impeça de colocar um biquíni ou uma roupa qualquer. O importante é que você entenda que esporte escolheu para praticar e aceite o bônus, de ter um corpo mais firme e torneado, e também o ônus, de ter um ou outro roxo ou dor.

Para praticar o Muay Thai preciso usar uniforme? Verdade! Precisa, sim! Assim como em qualquer outra modalidade que você escolha fazer, o uniforme é fundamental, da mesma forma que os equipamentos: protetor bucal, luvas, ataduras, caneleiras…

No próximo post, mais verdades e mentiras. Você pode participar deixando a sua dúvida! Estou esperando, hein!

**********************

Avisos:

1. Continuo a receber endereços de academias. Podem continuar mandando. Estou esperando acumular mais alguns para atualizar todos em um único post.

2. Hoje, dia 20/11, termina o Campeonato de Muay Thai da Liga Carioca. A última etapa acontece no Clube Vila Isabel, na Av. 28 de setembro. Se você puder, dê um pulo lá para prestigiar. Infelizmente, não poderei estar presente para cobrir o evento para o Muay Thai Mulher, pois estarei de plantão no trabalho. Se você for e quiser falar sobre o evento, pode mandar o post que eu publico com a sua autoria. Ok?

Gente… quando eu falo!!!

Hoje, mais uma vez lendo o jornal, percebo que as academias abraçaram o boxe (seja ele tradicional ou o Tailandês) com toda força no que toca aproveitá-lo como atividade física voltado, especialmente, para as mulheres.

O que li na manhã deste domingo, na Revista da Tv, do jornal O Globo (obs.: não é propaganda, é porque sou assinante), era para ser mais uma matéria (Até debaixo d’água, de Isabela Caban) sobre novas atividades que as academias oferecem para a galera entrar em forma no verão. Eis que no subtítulo, vou lendo as novidades e encontro: boxe aquático! Corri rapidamente as linhas da matéria até chegar aonde queria. Lá estava.

Então, vai aí, mais uma dica para você que quer começar a praticar e ainda está na dúvida. Seja o boxe ou o Muay Thai para mulheres, você pode tentar uma atividade mais leve que já tenha os movimentos. A tentativa te dará uma noção do que é o esporte e assim pode ajudar na sua decisão de fazer as aulas pra valer.

De acordo com a matéria, existem dois tipos de aula: o Boxe aqua trainning e o Hydroboxe. No primeiro, você faz 30 minutos na sala de aula e depois mergulha na piscina para mais meia hora de socos e chutes dentro d’água. Imagino que dever ser legal, porque a resistência da água torna os movimentos mais lentos e, portanto, mais pesados.

Já na segunda opção, o treino é feito todo dentro d’água e dura 50 minutos. O aluno conta com os acessórios utilizados em um treino tradicional, como luvas e caneleiras (mas em um formato diferente) e faz todos os movimentos como se estivesse no tatame. Também, devido à resistência da água, o peso das movimentações é maior e quanto mais rápido o aluno fizer as repetições, melhor será seu desempenho.

A matéria aponta a academia Estação do Corpo, na Lagoa (RJ) como a precursora desses treinamentos, mas, com certeza, com o verão se aproximando, em breve, você encontrará essas aulas em uma academia perto de você. Então, fique esperta!

Você já fez algum tipo de treinamento alternativo com os movimentos do Muay Thai? Ou mesmo essas aulas citadas no post? Como foi? Conte!

Já falamos aqui, em outras oportunidades, que o Muay Thai não é um esporte ou uma atividade física para mulheres que vão à academia para fazer ‘perfumaria’, como quem malha de verdade costuma chamar quem apenas fica batendo papo ao invés de se exercitar. Então, se você é esse tipo de pessoa que acredita que apenas por estar no local  e movida pelo poder da mente, vai emagrecer e tonificar a musculatura, mude de blog e de atividade. Mas eu acredito que se você está lendo é por que está levando o Muay Thai à sério e isso é muito legal.

Hoje, mais uma orientação que eu posso te dar a esse respeito é sobre o protetor bucal. Concordo: usá-lo é horrível. A gente fica feia mesmo! Ainda que você não queira, vai ficar com cara de má. Por outro lado, sem ele, você pode correr o risco – pequeno, é verdade, porém ainda assim um risco – de se machucar, aí, o dentista pode dar mais prejuízo.

Protetor bucal.

Protetor bucal.

O protetor não custa muito caro. Com menos de R$20,00 você consegue comprar um de boa qualidade. Existem dois tipos:

  • O que protege as duas arcadas: a superior e a inferior;
  • O que é colocado apenas na superior.
  • Este último é o que eu uso. É melhor para respirar e não dá a sensação de sufocamento. Esse equipamento também é bom, pois ensina a respirar pelo nariz e a dosar seu condicionamento.

    Não é necessário treinar o tempo todo com o protetor. Mas ele deve ser usado quando você estiver fazendo movimentações e, mais ainda, se estiver fazendo luva ou sombra. Você evita riscos desnecessários. Pode acontecer de escapar um soco ou um chute, mas o protetor te dá essa segurança e para a sua parceira também.

    Importante: não esqueça de lavá-lo depois de cada treino. É legal, para mantê-lo limpo, usar uma escova de dentes e um enxagüante bucal. Com o tempo, a sua saliva e seus dentes irão corroer o material e ele não ficará com uma boa aparência.  Tomando esses cuidados, você evita que o protetor acumule sujeira e mantém seus dentes e gengivas protegidas, tanto de pancadas como de qualquer outro problema.

    Você está treinando para ficar bem: saudável e com um corpo legal; então, enquanto estiver no tatame, faça a sua parte e você verá os resultados! Pode confiar!

    Você treina usando protetor? Não quer usar? Tem alguma dúvida? Divida conosco.

    Quando fiz o post sobre equipamentos necessários para serem utilizados na aula de Muay Thai e para serem de uso do aluno, falei rapidamente sobre as ataduras. Hoje, vou dedicar um pouco mais de atenção a esse material importante.

    Assim que você pisar no tatame, na sua primeira aula, o seu professor vai te ensinar a colocá-la nas mãos. Se você faz há muito tempo, já sabe como colocar. Porém, dependendo da intensidade do seu treinamento, você pode estar machucando os nós dos dedos sem perceber por estar usando a atadura errada, ou de forma errada.

    Então, você mulher, seja iniciante ou veterana nas aulas de Muay Thai, vale ter atenção com as suas ataduras. Vejo muitas meninas machucando os dedos por conta de não protegerem corretamente as mãos. Em primeiro lugar, você deve perceber se está fechando a mão corretamente para socar. Lembre-se, não é um cascudo, é um soco. Portanto, o punho deve estar totalmente cerrado e o polegar para dentro.

    O que acontece é que, muitas vezes, a aluna enrola muito mais a atadura na parte superior da mão acreditando que  assim evitará um machucado. Erro duplo. Primeiro, porque você não vai conseguir fechar a mão. Segundo, por que seu punho ficará desprotegido e, durante a execução do soco, você pode dobrá-lo, sem querer, e aí sim, se lesionar de verdade.

    Se você soca forte, então, é legal aprender a cruzar a atadura entre os dedos. Vai cobrir os nós e vai te dar mais firmeza. É assim que eu faço. É assim que lutadores profissionais fazem. Pode perceber. Além disso, ajuda a fechar a mão melhor.

    Outro detalhe importante é usar a atadura com firmeza. Ela não deve estar muito apertada, mas também não pode estar muito solta na mão. Ela deve ficar firme no punho, ainda mais se você tem tendência a machucar essa área. Como eu, por exemplo, que tenho o popular “punho aberto”. Aliás, fazer exercícios de musculação para reforçar esta área é muito interessante. Converse com seu professor se você sente algum desconforto na área.

    Existe também a questão da atadura de pano e da atadura comum. Eu já treinei com as duas e prefiro usar a comum. Ambas têm seus prós e contras. A atadura de pano dura mais e é esteticamente mais atraente. Depois da aula, você lava, põe para secar e ela está pronta pra outra. Mas, o velcro vai se acabar logo e você deve comprar uma do tamanho ideal para sua mão. Vejo muitas meninas no treino, parando a toda hora para acertar a atadura, porque ela vai afrouxando e desenrola. Quando usei, ela me incomodava bastante.

    As ataduras comuns acabam logo, é verdade. Depois de algumas aulas, você vai ter que trocá-las (não esqueça de pendurá-las depois da aula!), porque elas vão se desgastando naturalmente. Porém, são baratinhas. Além disso, se ajustam melhor entre os dedos e, por conseqüência, às mãos, e cabem melhor na luva.

    Você deve escolher a que melhor se adapta ao seu estilo. Mas tenha segurança com elas e as coloque corretamente. Se você ainda tem dificuldade, não se acanhe em pedir ajuda a uma companheira mais graduada ou mesmo ao seu professor.

    Outro truque bom para evitar aqueles machucadinhos que podem acontecer nos dedos é colocar esparadrapo nas falanges. Isto também vai te dar mais segurança para bater bem, te ajudando a colocar para fora todo o seu estresse.

    Você tem alguma dica de treinamento? Compartilhe!

    Nada como o boca-a-boca.

    Vou relatar uma coisa feia agora: embora pratique o Muay Thai há tantos anos, não tenho uma luva. Nunca comprei uma. Sempre usei a da academia. Coisa feia, né?! Eu reconheço! Logo eu, que já escrevi aqui sobre a importância de se ter um material próprio…

    Mas o fato é que luvas de 14 oz, que são as usadas, são caras e meu irmão me presenteou uma vez com um par de luvas oficiais do MMA (aquelas que deixam os dedos pra fora), que são ótimas para bater. Eu as uso na aula, só não posso usar se estiver fazendo luva ou sombra.

    Assim como eu, muita gente não tem suas luvas e meu Mestre vive cobrando. Luvas de boa qualidade custam mais de R$ 150,00 e nem sempre temos esse dinheiro à disposição. Foi então que, conversando com uma amiga da turma, recebi uma grande dica, e eu vou dividir com vocês agora.

    No site do Walmart, lá dos EUA, as luvas da Everlast estavam custando uns 24 dólares, o que convertendo para o real, não dá nem R$ 50,00. Ainda assim, com o custo de envio, acredito que não chegue nem a R$90,00. Não acreditei muito, mas hoje fui conferir. É verdade! E o melhor para nós, mulheres, é que há de várias cores: rosa, roxa… pelo que vi, ainda estão no estoque!

    Se você estiver pensando em comprar uma luva ou um outro equipamento, vale a pena visitar o Walmart e fazer as suas contas. Acho que é muito mais negócio! Compare com os preços do Walmart Brasil ou do Netshoes, por exemplo, e tire suas conclusões. Aproveite que hoje é sábado e faça uma pesquisa. Quem sabe você não faz umas comprinhas também? Eu estou quase fazendo!

    E você? Tem alguma dica boa? Comprou algum equipamento por um bom preço? Conte pra´gente!

    Agora que você já tem alguma noção do que vai encontrar quando se deparar com uma aula de Muay Thai, vamos passar para, digamos, a fase dois. Você já está familiarizado com o tatame, com o saco de areia, já sabe o que é e para o que serve uma manopla ou um escudo, etc, etc, etc… Mas, esses são os materiais do espaço físico onde se dá o treino. É hora de saber como se apresentar.

    Como mencionei no post anterior, assim como outros esportes exigem materiais específicos para a sua prática, com o Muay Thai, acontece o mesmo.

    Para fazer uma aula, você deve adquirir alguns equipamentos básicos para uma prática correta e segura do esporte. Além do uniforme, um assunto que tratarei especificamente em um próximo post, existem outras coisas que você tem que possuir. A seguir, alguns itens necessários:

    • Ataduras: É mais do que básico. É MUITO necessário. Lembre-se que por mais fraquinho que você bata, você vai bater. Ou seja, é bem provável que surja algum desconforto nos nós dos dedos. Então, não esqueça jamais das ataduras. Existem dois tipos: as de pano e você pode encontrar de várias marcas, como as da Everlast , Adidas e Armory, entre outras; ou as comuns, que são encontradas em farmácias e são baratinhas. Não custam mais de R$ 2,00. O tamanho deve ser entre 6 e 8 cm. Dependendo, claro, da sua mão. Eu, pessoalmente, prefiro as comuns. Acho que dão mais firmeza ao punho, protegem melhor do impacto do soco e são mais facilmente colocadas entre os dedos. Mas é uma escolha individual. O importante é NUNCA esquecer delas!
    • Protetor de boca: Este também é um detalhe importante. Não que você vá sair no braço com seus companheiros de treino. Nada disso. Mas ele dá mais segurança para seu treinamento na medida em que essa parte estará protegida caso escape algum movimento. Além do que, treinar com o protetor te ensina a respirar pelo nariz, o que ajuda a melhorar seu condicionamento. Também existem dois tipos:  O que é encaixado apenas na arcada superior; e o que  se encaixa nas duas arcadas. Opinião pessoal novamente. Eu uso o da arcada superior.
    • Luvas: Você pode adquirir dois tipos de luvas, se estiver muito, muito empolgada. A de ‘luta’, essa é a necessária e a de saco, para quando você fizer um treinamento usando este equipamento. Alguns professores fornecem esse material, mas o ideal é que você possua o seu. Vai por mim, não é nada agradável calçar uma luva suada… As luvas têm peso. O indicado é que você compre as de 14 oz. Você vai gastar uma graninha, ainda mais se for comprar as de marca. Mas, converse com seu professor, com certeza, ele vai indicar marcas e preços mais acessíveis ao seu bolso.
    • Caneleira: Esse material também é fornecido pela academia ou pelo professor, em alguns casos, mas o mesmo caso das luvas se aplica às caneleiras. Elas são úteis para quando você for treinar algumas defesas, mas também não vá pensando que você vai sair chutando ou sendo chutada. Não é nada disso. É mais uma questão de segurança para que os movimentos sejam executados com precisão e não exista o medo de se machucar nem de machucar o seu parceiro.

    Esses são os materiais que devem pertencer ao aluno nas aulas. Veja que existem tantos artifícios que são utilizados para sua proteção que se machucar em uma aula simples é bem difícil. Utilizando os equipamentos corretamente, praticando em uma academia séria, com um professor sério, você poderá tirar da aula todos os benefícios que ela tem a oferecer para o seu físico e para sua saúde.

    E aí? Já está se imaginando em uma aula? Comente!

    Quando você começa a praticar qualquer atividade física, é preciso pensar que não basta apenas estar de corpo presente. Existem muitos detalhes que devem ser levados em consideração. Exemplo: se você vai começar a ter aulas de tênis, tem que comprar uma raquete, tem que alugar uma quadra… se vai malhar, tem que comprar um tênis correto, roupas… se vai nadar, a mesma coisa e por aí vai.

    O mesmo acontecerá no Muay Thai. O aluno deverá ter o seu equipamento, e tratarei desse tema no próximo post. Por agora, quero falar um pouco sobre o que é utilizado na aula, seja em uma academia especializada ou em uma comum.

    Alunos treinam movimentos durante a aula de Muay Thai

    Aula de Muay Thai

    O tatame poderá variar um pouco. Algumas salas têm o piso parecido com o utilizado nos quartos de criança, podendo ser de encaixe, e parecem uma borracha (como é o de onde faço minhas aulas). Outros são pisos corridos, que lembram os utilizados em competições de judô. Mas, seja como for, sempre será macio para que o aluno não se machuque caso sofra uma queda durante o treino.

    Equipamento utilizado para treinar socos, chutes e movimentação.

    Saco de areia

    Na sala também existe o famoso saco de areia que, em alguns lugares mais sofisticados, foi substituído pelo ‘Bob’, aquele boneco que só tem metade do corpo e que é presença certa em um monte de filmes e comerciais em que mulheres aparecem batendo em algo. Eu, particularmente, prefiro o saco de areia, já que ele balança com a sua batida e você pode treinar movimentação. Algumas academias também contam com sacos de esquiva (aquele que tem umas cordinhas) e com o push ball, que treina a velocidade e coordenação dos socos.

    Equipamento utilizado para treinar socos.

    Manopla

    Durante a aula, os alunos praticam os golpes em duplas, mas amparados por dois equipamentos: a manopla, como o nome sugere, é usada nas mãos e serve, principalmente, para socos; e o escudo, posto no antebraço, e que serve para os chutes.

    Ainda existem os protetores de cabeça, mas estes são usados quando há uma simulação de luta ou um treino de sombra.

    Ou seja, há vários equipamentos à disposição, que são utilizados durante uma aula de boxe tailandês, que previnem e impedem que você se machuque. Portanto, se um dos motivos que te levava a não fazer uma aula era o medo de uma lesão, pode ficar tranqüila. Devido a todos os cuidados tomados, é um risco muito, muito pequeno. Digo por experiência própria. Já luxei o dedo e caí de cabeça jogando handebol, mas nunca me machuquei no boxe.

    No próximo post, como prometido, falarei sobre o equipamento que todo o aluno deve ter.

    Então? Deu para perder um pouco do medo de treinar boxe? Não? Comente.