Posts com Tag ‘boxe’

Eu durante a minha aula de Muay Thai. Observe o uniforme.

Eu com o uniforme do Muay Thai.

Vou começar este post aqui no Muay Thai Mulher fazendo de cara uma confissão: adoro treinar no saco de areia. Principalmente, quando estou cansada, por que posso dosar meu ritmo sem prejudicar ninguém. Além disso, posso dedicar minha atenção a alguns movimentos que acho que devem ser aprimorados.

Dito isso, explico o porquê do tema: semana passada, como acontece quase sempre, recebemos mais alunas novas na turma. Ao chegarem, óbvio, elas (ou eles) merecem toda a atenção do meu Mestre, que ensina os princípios e movimentos básicos do Muay Thai, enfatizando a posição dos pés, quadris, como socar etc. Às vezes, quando a sala está muito cheia e ele precisa voltar sua atenção para outros alunos, me pede para ajudar e eu treino com os mais novos. Coisa que, aliás, adoro!

Tive a oportunidade, então, de treinar no saco com duas alunas: uma mais antiga e outra mais nova e durante o treinamento pude passar para ambas a importância de usar este equipamento. A aluna mais nova, claro, parecia ter medo do aparelho e eu a incentivava a socar corretamente com mais força ‘por que o saco não reclama’, dizia para ela.

Eis aí a primeira finalidade do saco de areia: tirar o medo do golpe. Nele você pode testar sua precisão, avaliar sua potência e bater o mais forte que puder. Alivia a tensão, certamente, mas vai dar a você uma consciência corporal, além de mostrar quais socos são mais fortes e quais ainda têm que ser aprimorados.

Pude mostrar a essa aluna também, com calma, as posições e os movimentos corretos para os pisões e para os socos, repetindo cada um e mostrando como o saco respondia quando a execução era certa e quando era errada.

Já a outra aluna mais antiga logo foi me perguntando qual a finalidade de treinar no saco de areia. Percebi que muita gente não entende a necessidade desta atividade e me propus a falar sobre o assunto para ela e no Muay Thai Mulher. E o que expliquei foi que este treino faz você:

– Ter noção da sua potência (como havia falado para a outra aluna);
– Corrigir seus movimentos;
– Treinar velocidade junto com a força;
– Treinar o ‘timing’ das sequêcias dos golpes, especialmente se não há ninguém segurando. O saco de areia vai responder a intensidade dos seus socos, chutes e pisões retornando para você, nessa hora seu objetivo será encontrar a hora certa de entrar e sair e de retomar o ataque;
– Treinar em rounds, ajudando no seu condicionamento aeróbico e ensinando controlar o seu ‘gás’.

Ah! Lembre-se das ataduras e das luvas, seja a específica para o saco de areia ou a de luta mesmo. Evite ferir seus dedos pois, geralmente, a couraça do saco (dependendo do seu peso) pode machucar.

Assim, se você nunca treinou ou se não gosta de usar o saco de areia, pense duas vezes antes de implorar ao seu professor para não fazê-lo. Tente uma vez e tenho certeza de que vai gostar. Além de aliviar seu estresse (sempre dou a dica para pensar naquela pessoa que te estressou muito durante o dia. Imaginar que ela está ali e descontar no saco, claro) é um exercício ótimo sob todos os aspectos.

Você gosta de treinar no saco de areia? Qual o seu treinamento preferido? Conte aqui no Muay Thai Mulher, de repente é um dos meus também!

Anúncios

Nesta segunda-feira, estava chegando na academia quando a recepcionista chamou meu Mestre para conversar com uma mãe que estava vendo o local com a filha, e a menina queria saber mais detalhes sobre a luta. A mãe perguntava se era violento, se meninas podiam fazer e se a filha não se machucaria, já que era muito magrinha… E meu professor explicava que não. Que muitas meninas faziam e nisso estou passando pela roleta. Na mesma hora, ele apontou e disse ‘Não, tem muitas meninas. Aquela li é professora’. Respondi com um sorriso e entrei.

Porém, naquele instante, me lembrei de um comentário feito aqui no Muay Thai Mulher de uma leitora que perguntava se ela poderia praticar as aulas mesmo estando acima do peso e fora de forma. Essa pergunta e os comentários ouvidos lá na academia, me colocaram diante de um daqueles tópicos sobre verdades ou mentiras. Pois então, este post é para esclarecer mais esta dúvida.

É mentira! Não é preciso ser sarado para praticar Muay Thai. Aliás, para praticar qualquer esporte. Claro que você terá alguma vantagem se tiver um peso mais próximo do ideal e um condicionamento em dia, obviamente seu rendimento tende a ser melhor. Mais esteticamente falando, porém, do que tecnicamente. Com o treinamento e alimentação adequada, certamente você começará a perder peso e a se sentir mais condicionada, mas será a sua vontade, empenho e determinação que irão definir o sucesso de seu desempenho.

Abdominais.

Final da aula de Muay Thai.

Se você já assistiu a alguma luta de boxe ou de Muay Thai ou ainda de MMA (ou Vale Tudo), deve ter notado que nem todos os lutadores tem músculos definidos e barrigas-tanquinho.  Aliás, eles também não têm o mesmo tamanho e, como as competições são divididas em categorias e estas em intervalos de peso, os atletas estão em uma faixa, mas não necessariamente pesam a mesma coisa. E o melhor nem sempre é o mais sarado.

O que estou querendo dizer é que estar  em forma ajuda, mas se não é o determinante em uma competição, que dirá para quem pratica visando saúde e bem estar, como é a razão de ser do Muay Thai Mulher? O objetivo aqui é falar da prática não de um ponto de vista competitivo, mas de uma maneira em que a atividade possa trazer algum benefício para a vida de quem resolve calçar uma luva e entrar no tatame.

Como nosso objetivo aqui não é falar de preparação para competições, digo que não importa seu peso, seu sexo, seu tamanho nem sua idade. Para praticar o Muay Thai basta ter vontade e muita disposição, porque as aulas vão exigir isso de você. Mas é só! Nas turmas que tive durante esses meus nove anos, a diversidade de tipos sempre foi muito grande, e posso afirmar para quem tem essa dúvida que as pessoas com as quais treinei que estavam acima do peso, em muitos casos, tinham mais agilidade e força do que outras que estavam com tudo em cima. Da mesma forma, se você é magrinha e acha que não vai dar, o raciocínio é o mesmo.

Portanto, a mensagem que eu quero deixar é que depende muito mais do que está no seu espírito e no seu coração do que na balança.

Você melhorou sua forma e seu condicionamento depois que começou a treinar? Partilhe conosco sua experiência.

——————–

OBS.: Galera, desculpe a demora em atualizar o blog, mas devido aos acontecimentos da última semana no Rio, minhas obrigações profissionais tomaram todo o meu tempo.

Gente, acabei de chegar da academia e entrei para dividir um momento de alegria com vocês, amigos e leitores do Muay Thai Mulher. O motivo deste post rápido é contar que hoje dei mais uma aula. Meu mestre precisou se ausentar e me passou esta importante tarefa. Já tinha estado a frente de uma turma outras duas vezes e, geralmente, o ajudo quando a sala está muito cheia, mas hoje foi especial.

Nas outras oportunidades, por ser véspera de feriado, a presença dos alunos não foi grande. Hoje, porém, a turma estava cheia. Pessoas de vários níveis e até uma principiante.

Dessa vez, me senti bem, muito bem comandando a turma e consegui passar as atividades para todos. Saí satisfeita. Acho que foi tudo bem… Pelo menos, todo mundo suou muito e ninguém reclamou no final.

Era isso, gente! Queria dividir esse momento, porque toda a vez que tenho a oportunidade de dar aula, de passar um pouquinho do que aprendi, me sinto muito feliz. Ainda mais porque tarefa demonstra a confiança do meu mestre em mim. Bem… amanhã tem outra!

Aliás, divido com vocês este momento de realização, pois desde que comecei a escrever o Muay Thai Mulher, recebo as participações de vocês e sinto que realmente posso contribuir com alguma coisa. Por isso, muito obrigada!

Quer compartilhar alguma experiência com o Muay Thai? Fique a vontade!

Campeonato Carioca de Muay Thai - IV etapa.

Campeonato Carioca de Muay Thai - IV etapa.

Galera, como prometi para vocês, neste sábado consegui dar um pulo no Clube Vila Isabel, em Vila Isabel, no Rio de Janeiro, para conferir a IV Etapa do Campeonato Carioca de Muay Thai e contar para vocês aqui no Muay Thai Mulher um pouquinho de como foi a etapa. O evento começou às 10 horas da manhã e se estendeu até o final da tarde. Aconteceram vários combates entre amadores e também uma luta profissional, além de outras de exibição.

Eu e meu Mestre, Alessandro Souza.

Eu e meu Mestre, Alessandro Souza.

Quando cheguei no início da tarde (e, infelizmente, não pude ficar por muito tempo devido a outros compromissos), já tinham acontecido sete combates. O oitavo não durou nem dois minutos. Logo na primeira troca de golpes, um levou uma joelhada no nariz e a luta acabou por nocaute técnico. Lição para você que não defende direito joelhadas no treino. Quando seu mestre mandar você juntar os antebraços, não abaixar a cabeça e empurrar para baixo, lembre-se deste relato aqui. Pode fazer toda a diferença entre um nariz inteiro e um nariz quebrado…

Além dos dirigentes da Liga Carioca, dos árbitros, professores e lutadores, também compareceram a etapa muitos familiares e pessoas que curtem o esporte. Aliás, quem compareceu não deve ter ficado decepcionado. Os combates estavam em um nível muito bom.

Décimo combate do dia.

Décimo combate do dia.

Acompanhei com mais atenção o décimo combate do dia entre João Pedro e Bruno Barbosa. Boa luta com três rounds completos e vitória de 2×1, por decisão do júri, para Bruno Barbosa, da Boxe Thai, do Mestre Jonny Eduardo. Eu filmei o primeiro round da luta e pretendia já postar aqui, mas meu computador e meu celular estão tendo um conflito momentâneo e tão logo seja resolvido, colocarei o vídeo para vocês.

O vigésimo-nono combate do dia era feminino entre as lutadoras Camila e Luciana, mas não pude ficar para conferir. Porém, fica o registro de que as mulheres estão mesmo marcando seu espaço no Muay Thai. Aliás, muitas meninas estavam acompanhando as lutas. Muito bacana!

Parabéns à Liga Carioca de Muay Thai que está organizando com seriedade e toda a cerimônia que este tipo de evento esportivo merece as etapas do campeonato. Em tempo, O Muay Thai Mulher aproveita e já faz mais um convite: dia 20 de novembro, no mesmo local, acontece a final do Campeonato Carioca. Se você puder, compareça! Você vai curtir.

E na sua cidade? O que está rolando? Conta aí!

Antes de mais nada, quero pedir desculpas pela ausência de novos posts esses dias. Trabalho, problemas com a internet… enfim, algumas coisinhas que me afastaram um pouquinho daqui. Em compensação, trago algumas novidades sobre a programação do Muay Thai, principalmente, para quem é do Rio.

Para começar, quero agradecer ao mestre Vitor Miranda, que dá aulas na Academia Delfim, pelo comentário e pelo convite. Com certeza, eu vou aparecer, hein! Aliás, como já tinha indicado aqui, a Escola de Boxe Delfim fica na Rua Pereira de Siqueira, 45. Tijuca. Rio de Janeiro
Horários: Seg/Qua/Sex: 7:00, 8:00, 16:00, 19:00, 20:00 (as 20:00, aula somente meninas).
Ter/Qui: 7:00, 8:00, 17:00, 20:00 – Lá tem outras lutas também como Boxe e Jiu Jitsu.

IV etapa do Campeonato Estadual de Muay Thai

IV etapa do Campeonato Estadual de Muay Thai

Passando da teoria para a prática. Neste sábado, vai rolar no Clube Vila, em Vila Isabel, a partir das 10 horas da manhã a quarta etapa do campeonato estadual de Muay Thai, promovido pela Liga Carioca de Muay Thai. O evento terá mais de 60 lutas, masculinas e femininas; além de apresentações, apenas de exibição, de lutas infantis. O Clube Vila fica na Rua Vinte e oito de Setembro, 160, em Vila Isabel. Estou me programando para aparecer por lá para cobrir o evento para o Muay Thai Mulher e fazer um post bem bacana para aqueles que não puderem comparecer. Se não aparecer nenhum imprevisto, estarei lá na parte da manhã, já que o evento deve se estender até o final da tarde.

Outra dica legal é no programa ‘Sensei Sportv’. Mais uma vez, o Muay Thai e seus famosos praticantes são o alvo da matéria. Dessa vez, a reportagem vai mostrar a rotina da atriz e apresentadora Fernanda Pontes e de seu marido, o produtor Diogo Boni, nos treinos diários com o professor Airton Senna. O programa vai ao ar no Sportv, na madrugada de sábado para domingo, a meia-noite.

Então, programe-se!

Se está rolando algum evento na sua cidade, divulgue aqui! Se você for ao evento no sábado, comente aqui o que achou.

Muito legal a participação de vocês. Continuo recebendo indicações de academias de Muay Thai. Então, aqui vão as mais recentes da lista do Muay Thai Mulher:

Aliás, esqueci de falar de onde eu treino. Perdoem esta falha. Vou corrigí-la agora, começando essa segunda lista pela minha academia:

Academia Universo Altético, Rua São Clemente 155, Botafogo. Rio de Janeiro.
Meu mestre é o Alessandro Souza, e as aulas são de segunda à sexta. Segundas, quartas e sextas, de 19h30min às 20h30min  e as terças e quintas, das 19h às 20h30min.

– A Fabiana de São Paulo treina na academia Combat Sports, completou a informação. A academia fica na Av. Ipiranga. São Paulo capital. É próximo ao metrô República. Ela treina com o mestre Gilmar China que, segundo ela, é muito bom.

– A Hanna, de Santa Catarina,  cita quatro academias em Florianópolis:
-> Raccer, em Trindade;
-> Boxe Thai, no Centro (aulas com o Mestre Peu);
-> Wado-Kan, também no Centro (aulas com Gabriel ou Josué). Aqui, a Hanna deixa sua opinião “Já fiz aula na wado kan, é muito bom o treino lá. O professor não quer nem saber se é iniciante, exige da mesma forma que os outros. Mas é muito bom.”
-> Sest/Senat, no Jardim Atlântico (aulas com Monalisa ou Leonardo). Show, Hanna! Valeu!

– A Andrielli Paes, do Mato Grosso do Sul, indica a Octagon Fight, em Campo Grande, MS. As aulas são com o mestre Michel Igenho.

– A Graça, de São Paulo, indica a academia é Gutty Flex, que fica na Av. João de Andrade, 1671, 2º andar, Jardim Santo Antônio, Osaco, São Paulo. Para quem quiser mais informações, ela deixou o telefone (19) 3592. – 2674. As Aulas são de manhã, à tarde e à noite; às 2a. 4a. e 6a. com Professor Wagner Silva da Equipe Tadeu San Martino.

A todos vocês que já mandaram suas indicações para o Muay Thai Mulher meu muito obrigado. Espero mais academias para que a gente vá aumentando nossa lista!

Você está lendo este post e também treina Muay Thai? Fale com a gente sobre sua academia. Estou esperando!

O Muay Thai parece mesmo estar dominando o mundo. Não só nas academias de ginástica, mas também na música. Além de todos os movimentos das lutas (coreografadas) executados pelas mocinhas de filmes de cinema e de seriados da televisão, que estamos tão costumados a assistir, agora é em um vídeo-clipe muito bacana que o Muay Thai aparece.

Não é um vídeo novo, mas eu não o conhecia. Recebi o link hoje, de uma amiga pelo twitter, e fiz questão de dividir com vocês.

A música é ‘It comes and it goes’, da cantora Dido. O legal do vídeo, além de falar da arte marcial, é que ele mostra uma mulher que luta Muay Thai e conta a história dela. Tem uma fotografia bem bacana e o som é bom também.

Então, o Muay Thai Mulher apresenta para vocês esse clipe. Caso você não consiga ver o vídeo aqui no blog, é só ir na página da Dido no You Tube.

Ah! O Muay Thai Mulher continua recebendo endereços de academias de Muay Thai. Amanhã, um post atualizado com mais locais. Se você não mandou, ainda estou esperando!

E aí? O que vocês acharam do vídeo? Conhecem outros?

Fato! Estou dolorida…

Meninas, aqui vai um conselho (eu sei que se fosse bom, a gente vendia, não dava, mas esse vale!): se seu mestre disser para você fazer ‘luva’; ou seja, um treininho de luta, não recuse. Faça a maior quantidade possível!

Digo isso, e sem nenhuma desonra a minha graduação e aos meus nove anos de Muay Thai, porque eu mesma estou há muito tempo sem fazer esse tipo de treinamento. Já bati e apanhei muito e, como relatei anteriormente, faço boxe tailandês para melhorar meu condicionamento e minha forma física. Fazer luvas para mim sempre foi um tormento, simplesmente por que eu não gosto de bater e sei que posso ser bem ‘cavalinha’. Então, para  não machucar, acabo só me defendendo (e, vamos combinar, minha esquiva não é lá essas coisas) e, às vezes, tomo uma ou outra pancada sem necessidade.

Eu curto a aula. Curto ajudar meu mestre (quando ele precisa) a ensinar os outros alunos e, principalmente, as alunas  – porque elas confiam em mim (ver, no Muay Thai, uma mulher com uma graduação alta estimula). Mas, realmente, esse tipo de treino nunca me deixou à vontade. Porém, meninas, é necessário.

Como estou há muitos e muitos meses mesmo sem fazer luvas, ontem, meu mestre achou por bem que eu devia dar uma treinadinha, afinal de contas, como grau preto, devo ser um exemplo. O treino foi só mão, ou seja, nada de chutes, joelhadas ou etc, porque estou com uma lesão chata na virilha que está me atrapalhando, mas, ainda assim, fui lá eu treinar com meu companheiro de aula o Marcelo. Ah! Com um homem, sim… Mesmo machucada, meu mestre não me perdoa.

Gente, como estou fora de ritmo! Não foi um horror tremendo, mas vi como meu corpo está lento, com reações morosas e com agilidade duvidosa. Além disso, meu fôlego acabou logo. Bem, isso sem contar com a dor que estou hoje na lombar, nos ombros e nas costas. É preciso entender que um treino para luta é muito diferente de uma aula normal. Mas, é preciso que a gente exercite esse ‘tempo de rounds’.

Enquanto estava treinando, eu mesmo me xingava por estar há tanto tempo sem fazer esse tipo de movimentação. Desde que me tornei preta, meio que relaxei. Enfim… Meu conselho, portanto, é: não deixem de treinar luvas. Sem pânico, sem medo, sem estresse. Ninguém vai lutar com você de verdade. É apenas uma movimentação, mas é uma atividade que pode fazer a diferença nos seus ganhos físicos.

Você gosta de fazer ‘luva’ ou prefere os exercícios de movimento com os equipamentos? Conta aí!

Gente… quando eu falo!!!

Hoje, mais uma vez lendo o jornal, percebo que as academias abraçaram o boxe (seja ele tradicional ou o Tailandês) com toda força no que toca aproveitá-lo como atividade física voltado, especialmente, para as mulheres.

O que li na manhã deste domingo, na Revista da Tv, do jornal O Globo (obs.: não é propaganda, é porque sou assinante), era para ser mais uma matéria (Até debaixo d’água, de Isabela Caban) sobre novas atividades que as academias oferecem para a galera entrar em forma no verão. Eis que no subtítulo, vou lendo as novidades e encontro: boxe aquático! Corri rapidamente as linhas da matéria até chegar aonde queria. Lá estava.

Então, vai aí, mais uma dica para você que quer começar a praticar e ainda está na dúvida. Seja o boxe ou o Muay Thai para mulheres, você pode tentar uma atividade mais leve que já tenha os movimentos. A tentativa te dará uma noção do que é o esporte e assim pode ajudar na sua decisão de fazer as aulas pra valer.

De acordo com a matéria, existem dois tipos de aula: o Boxe aqua trainning e o Hydroboxe. No primeiro, você faz 30 minutos na sala de aula e depois mergulha na piscina para mais meia hora de socos e chutes dentro d’água. Imagino que dever ser legal, porque a resistência da água torna os movimentos mais lentos e, portanto, mais pesados.

Já na segunda opção, o treino é feito todo dentro d’água e dura 50 minutos. O aluno conta com os acessórios utilizados em um treino tradicional, como luvas e caneleiras (mas em um formato diferente) e faz todos os movimentos como se estivesse no tatame. Também, devido à resistência da água, o peso das movimentações é maior e quanto mais rápido o aluno fizer as repetições, melhor será seu desempenho.

A matéria aponta a academia Estação do Corpo, na Lagoa (RJ) como a precursora desses treinamentos, mas, com certeza, com o verão se aproximando, em breve, você encontrará essas aulas em uma academia perto de você. Então, fique esperta!

Você já fez algum tipo de treinamento alternativo com os movimentos do Muay Thai? Ou mesmo essas aulas citadas no post? Como foi? Conte!

Como estamos no domingo, vou continuar falando de assuntos leves… Na verdade, vou complementar o post de ontem.

Às vezes, tenho a sensação de que estou cercada de assuntos sobre boxe e Muay Thai por todos os lados, principalmente com relação a sua prática pelas mulheres. Pipocam na mídia, como relatei ontem, matérias sobre famosas que usam a luta para manter a boa forma.

Fiorella Mattheis treina Muay Thai

Fiorella Mattheis treina Muay Thai. Reprodução: Revista da TV, O Globo.

Hoje, para minha surpresa, abri o jornal e lá estava, na Revista da TV, do ‘O Globo’, na coluna da Patrícia Kogut, mais uma celebridade revelando usar o boxe para manter a forma. Se ontem falamos da Geovanna Tominaga, dessa vez, a parceira do programa Vídeo Show, Fiorella Mattheis, contou que está fazendo aulas há um mês e que está adorando o resultado.

Tá vendo? Mais uma para acrescentar a lista. Em tempo, uma piadinha me ocorre: com a Geovanna e a Fiorella fazendo boxe tailandês, não quero nem imaginar se um dia tiver briga nos bastidores do programa!

Embarcando na piadinha: Quem vocês acham que venceria?