O post de hoje é para matar a curiosidade, tirar dúvidas e atender a alguns pedidos que surgiram nos comentários de muitas mulheres que estão, ou ainda vão, começando a praticar Muay Thai. Além, claro, da pergunta sobre os ‘machucados’ que possam advir da atividade.

Sobre este assunto, o Muay Thai Mulher já tratou em outra oportunidade. Mas não custa relembrar que a prática do Muay Thai, desde que feita em uma academia séria, com um professor consciente, responsável e coerente, não traz qualquer malefício para o aluno ou aluna. Claro, você não deve perder de vista que é um esporte de contato, por isso pode acontecer um roxo ou outro, porém nada de ossos quebrados ou coisas do gênero.

Isto relembrado, vamos ao motivo deste post. A pergunta que me fizeram nos comentários foi: Muay Thai deixa a mulher masculinizada? A resposta é simples: NÃO!

A ideia de que a mulher se brutaliza ao praticar uma arte marcial não é verdadeira. A brutalidade é inerente a personalidade de cada um, assim como os trejeitos masculinos que algumas meninas podem ter. O Muay Thai não cria isso.

Obviamente, se você for praticar o esporte com objetivo competitivo, alguns sacrifícios terão que ser realizados e certas necessidades deverão ser atendidas. Nesses casos, devido ao treinamento intenso no tatame e na musculação, a suplementação alimentar e a intensidade da atividade, talvez (dependendo da genética) a mulher possa aumentar sua massa muscular de uma maneira que a torne ‘musculosa’ demais. Algumas se incomodam com isso; outras, não.

Porém, este não é o caso aqui. Atualmente – ainda bem – muitas mulheres têm procurado o muay thai como uma atividade física alternativa. Em decorrência da repetição de socos, chutes e movimentos de esquiva e pêndulo, a mulher vai ganhar formas mais tonificadas, definidas e ‘arredondadas’, como o ombro e os contornos dos bíceps, por exemplo.

Se você fizer uma atividade complementar como musculação e corridas, e mantiver uma alimentação saudável e balanceada, o que você vai conseguir é um corpo mais seco e músculos mais tonificados, além de uma postura melhor, mas nunca um corpo masculino.

Eu posso falar sobre isso com tranquilidade, porque sou a menos feminina das mulheres desse planeta no meu dia a dia, mas ainda assim não há nada de errado no meu corpo como vocês podem conferir nas fotos deste post. Há o momento de fazer a aula e há o momento de ser ‘mocinha’. Uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Eu durante a minha aula de Muay Thai. Observe o uniforme.

Eu com o uniforme do Muay Thai.

Pronta para festa. Arrumada quando preciso.

Portanto, não tenha medo, nem receio. Tenha em mente que seu corpo será o que você desejar que ele seja. Se seu objetivo é ter um corpo musculoso, não há nada de mau nisso. Apenas evite fazer dietas enlouquecidas e tomar produtos por indicação. Procure uma orientação profissional e responsável. Se seu objetivo é ter um corpo seco e tonificado, é isso que você alcançará praticando o esporte.

Então, comece a praticar, a ver os resultados e me conte como você está se sentindo. Tenho certeza de que você vai aprovar as mudanças que seu corpo sofrerá e depois me diga se está ‘masculino’. Estou esperando, hein!

Anúncios

Gente, acabei de chegar da academia e entrei para dividir um momento de alegria com vocês, amigos e leitores do Muay Thai Mulher. O motivo deste post rápido é contar que hoje dei mais uma aula. Meu mestre precisou se ausentar e me passou esta importante tarefa. Já tinha estado a frente de uma turma outras duas vezes e, geralmente, o ajudo quando a sala está muito cheia, mas hoje foi especial.

Nas outras oportunidades, por ser véspera de feriado, a presença dos alunos não foi grande. Hoje, porém, a turma estava cheia. Pessoas de vários níveis e até uma principiante.

Dessa vez, me senti bem, muito bem comandando a turma e consegui passar as atividades para todos. Saí satisfeita. Acho que foi tudo bem… Pelo menos, todo mundo suou muito e ninguém reclamou no final.

Era isso, gente! Queria dividir esse momento, porque toda a vez que tenho a oportunidade de dar aula, de passar um pouquinho do que aprendi, me sinto muito feliz. Ainda mais porque tarefa demonstra a confiança do meu mestre em mim. Bem… amanhã tem outra!

Aliás, divido com vocês este momento de realização, pois desde que comecei a escrever o Muay Thai Mulher, recebo as participações de vocês e sinto que realmente posso contribuir com alguma coisa. Por isso, muito obrigada!

Quer compartilhar alguma experiência com o Muay Thai? Fique a vontade!

Campeonato Carioca de Muay Thai - IV etapa.

Campeonato Carioca de Muay Thai - IV etapa.

Galera, como prometi para vocês, neste sábado consegui dar um pulo no Clube Vila Isabel, em Vila Isabel, no Rio de Janeiro, para conferir a IV Etapa do Campeonato Carioca de Muay Thai e contar para vocês aqui no Muay Thai Mulher um pouquinho de como foi a etapa. O evento começou às 10 horas da manhã e se estendeu até o final da tarde. Aconteceram vários combates entre amadores e também uma luta profissional, além de outras de exibição.

Eu e meu Mestre, Alessandro Souza.

Eu e meu Mestre, Alessandro Souza.

Quando cheguei no início da tarde (e, infelizmente, não pude ficar por muito tempo devido a outros compromissos), já tinham acontecido sete combates. O oitavo não durou nem dois minutos. Logo na primeira troca de golpes, um levou uma joelhada no nariz e a luta acabou por nocaute técnico. Lição para você que não defende direito joelhadas no treino. Quando seu mestre mandar você juntar os antebraços, não abaixar a cabeça e empurrar para baixo, lembre-se deste relato aqui. Pode fazer toda a diferença entre um nariz inteiro e um nariz quebrado…

Além dos dirigentes da Liga Carioca, dos árbitros, professores e lutadores, também compareceram a etapa muitos familiares e pessoas que curtem o esporte. Aliás, quem compareceu não deve ter ficado decepcionado. Os combates estavam em um nível muito bom.

Décimo combate do dia.

Décimo combate do dia.

Acompanhei com mais atenção o décimo combate do dia entre João Pedro e Bruno Barbosa. Boa luta com três rounds completos e vitória de 2×1, por decisão do júri, para Bruno Barbosa, da Boxe Thai, do Mestre Jonny Eduardo. Eu filmei o primeiro round da luta e pretendia já postar aqui, mas meu computador e meu celular estão tendo um conflito momentâneo e tão logo seja resolvido, colocarei o vídeo para vocês.

O vigésimo-nono combate do dia era feminino entre as lutadoras Camila e Luciana, mas não pude ficar para conferir. Porém, fica o registro de que as mulheres estão mesmo marcando seu espaço no Muay Thai. Aliás, muitas meninas estavam acompanhando as lutas. Muito bacana!

Parabéns à Liga Carioca de Muay Thai que está organizando com seriedade e toda a cerimônia que este tipo de evento esportivo merece as etapas do campeonato. Em tempo, O Muay Thai Mulher aproveita e já faz mais um convite: dia 20 de novembro, no mesmo local, acontece a final do Campeonato Carioca. Se você puder, compareça! Você vai curtir.

E na sua cidade? O que está rolando? Conta aí!

Antes de mais nada, quero pedir desculpas pela ausência de novos posts esses dias. Trabalho, problemas com a internet… enfim, algumas coisinhas que me afastaram um pouquinho daqui. Em compensação, trago algumas novidades sobre a programação do Muay Thai, principalmente, para quem é do Rio.

Para começar, quero agradecer ao mestre Vitor Miranda, que dá aulas na Academia Delfim, pelo comentário e pelo convite. Com certeza, eu vou aparecer, hein! Aliás, como já tinha indicado aqui, a Escola de Boxe Delfim fica na Rua Pereira de Siqueira, 45. Tijuca. Rio de Janeiro
Horários: Seg/Qua/Sex: 7:00, 8:00, 16:00, 19:00, 20:00 (as 20:00, aula somente meninas).
Ter/Qui: 7:00, 8:00, 17:00, 20:00 – Lá tem outras lutas também como Boxe e Jiu Jitsu.

IV etapa do Campeonato Estadual de Muay Thai

IV etapa do Campeonato Estadual de Muay Thai

Passando da teoria para a prática. Neste sábado, vai rolar no Clube Vila, em Vila Isabel, a partir das 10 horas da manhã a quarta etapa do campeonato estadual de Muay Thai, promovido pela Liga Carioca de Muay Thai. O evento terá mais de 60 lutas, masculinas e femininas; além de apresentações, apenas de exibição, de lutas infantis. O Clube Vila fica na Rua Vinte e oito de Setembro, 160, em Vila Isabel. Estou me programando para aparecer por lá para cobrir o evento para o Muay Thai Mulher e fazer um post bem bacana para aqueles que não puderem comparecer. Se não aparecer nenhum imprevisto, estarei lá na parte da manhã, já que o evento deve se estender até o final da tarde.

Outra dica legal é no programa ‘Sensei Sportv’. Mais uma vez, o Muay Thai e seus famosos praticantes são o alvo da matéria. Dessa vez, a reportagem vai mostrar a rotina da atriz e apresentadora Fernanda Pontes e de seu marido, o produtor Diogo Boni, nos treinos diários com o professor Airton Senna. O programa vai ao ar no Sportv, na madrugada de sábado para domingo, a meia-noite.

Então, programe-se!

Se está rolando algum evento na sua cidade, divulgue aqui! Se você for ao evento no sábado, comente aqui o que achou.

Muito legal a participação de vocês. Continuo recebendo indicações de academias de Muay Thai. Então, aqui vão as mais recentes da lista do Muay Thai Mulher:

Aliás, esqueci de falar de onde eu treino. Perdoem esta falha. Vou corrigí-la agora, começando essa segunda lista pela minha academia:

Academia Universo Altético, Rua São Clemente 155, Botafogo. Rio de Janeiro.
Meu mestre é o Alessandro Souza, e as aulas são de segunda à sexta. Segundas, quartas e sextas, de 19h30min às 20h30min  e as terças e quintas, das 19h às 20h30min.

– A Fabiana de São Paulo treina na academia Combat Sports, completou a informação. A academia fica na Av. Ipiranga. São Paulo capital. É próximo ao metrô República. Ela treina com o mestre Gilmar China que, segundo ela, é muito bom.

– A Hanna, de Santa Catarina,  cita quatro academias em Florianópolis:
-> Raccer, em Trindade;
-> Boxe Thai, no Centro (aulas com o Mestre Peu);
-> Wado-Kan, também no Centro (aulas com Gabriel ou Josué). Aqui, a Hanna deixa sua opinião “Já fiz aula na wado kan, é muito bom o treino lá. O professor não quer nem saber se é iniciante, exige da mesma forma que os outros. Mas é muito bom.”
-> Sest/Senat, no Jardim Atlântico (aulas com Monalisa ou Leonardo). Show, Hanna! Valeu!

– A Andrielli Paes, do Mato Grosso do Sul, indica a Octagon Fight, em Campo Grande, MS. As aulas são com o mestre Michel Igenho.

– A Graça, de São Paulo, indica a academia é Gutty Flex, que fica na Av. João de Andrade, 1671, 2º andar, Jardim Santo Antônio, Osaco, São Paulo. Para quem quiser mais informações, ela deixou o telefone (19) 3592. – 2674. As Aulas são de manhã, à tarde e à noite; às 2a. 4a. e 6a. com Professor Wagner Silva da Equipe Tadeu San Martino.

A todos vocês que já mandaram suas indicações para o Muay Thai Mulher meu muito obrigado. Espero mais academias para que a gente vá aumentando nossa lista!

Você está lendo este post e também treina Muay Thai? Fale com a gente sobre sua academia. Estou esperando!

O Muay Thai parece mesmo estar dominando o mundo. Não só nas academias de ginástica, mas também na música. Além de todos os movimentos das lutas (coreografadas) executados pelas mocinhas de filmes de cinema e de seriados da televisão, que estamos tão costumados a assistir, agora é em um vídeo-clipe muito bacana que o Muay Thai aparece.

Não é um vídeo novo, mas eu não o conhecia. Recebi o link hoje, de uma amiga pelo twitter, e fiz questão de dividir com vocês.

A música é ‘It comes and it goes’, da cantora Dido. O legal do vídeo, além de falar da arte marcial, é que ele mostra uma mulher que luta Muay Thai e conta a história dela. Tem uma fotografia bem bacana e o som é bom também.

Então, o Muay Thai Mulher apresenta para vocês esse clipe. Caso você não consiga ver o vídeo aqui no blog, é só ir na página da Dido no You Tube.

Ah! O Muay Thai Mulher continua recebendo endereços de academias de Muay Thai. Amanhã, um post atualizado com mais locais. Se você não mandou, ainda estou esperando!

E aí? O que vocês acharam do vídeo? Conhecem outros?

Antes de mais nada, quero agradecer ao pessoal que já fez comentários deixando informações sobre as academias em que praticam o Muay Thai. Então, como prometido, vou começar a postar o que estou recebendo.

Vamos lá, então:

– A Fabiana de São Paulo treina na academia Combat Sports. Segundo ela, uma das melhores no quesito artes marciais. Fabiana, só faltou você dizer se é São Paulo capital e qual o bairro.

– O Emerson Cordeiro, também de São Paulo, indicou a academia de Lutas Gracie Butantã, da tradicional família Gracie. Segundo o comentário do Emerson aqui no Muay Thai Mulher, “as aulas de Muay Thai são lotadas de mulher, média de 8 a 10 por treino em dias de semana. Todas podem fazer uma aula grátis para experimentar e são muito bem recebidas pelos professores Thiago “Beowolf” e Gilmar “China” Sales”. Fica aí  a dica! Aliás, valeu pelas palavras Emerson! Que bom que você curtiu o blog.

– A Fernanda Araújo conta que é deficiente auditiva (tá aí outro incentivo pra você que acha que não dá. Siga o exemplo da Nanda!) e que pratica na Academia Champions Factory, no Rio de Janeiro (com duas filiais: Copacabana e Barra da Tijuca). Ela treina com o Mestre Artur Mariano. A Fernanda diz que “a filial de Copacabana tem horários voltados para mulheres praticarem (terça e quinta das 19h até 20h). É muito bacana e lá faz novas amizades e de vez em quando, rolam churrascos com a turma.”

– O grande Mestre Guilherme Bringel também deixou seu recado. Ele dá aulas na academia Four Fitness, na Rua das Laranjeiras 82, em Laranjeiras.

Esses são só os primeiros. Você também pode compartilhar com a gente informações sobre sua academia. Estou contando com a sua participação!

Quando comecei a escrever este blog, logo me pediram para fazer um post sobre academias de Muay Thai e, principalmente, as que ofereciam aulas experimentais. Aí, fui buscar a informação. Porém, com o passar do tempo, passei a receber vários comentários de outros lugares do país e veio a constatação: não é justo fazer indicações de academias apenas no Rio de Janeiro. Então, tive uma idéia:

Quero fazer uma proposta para meus leitores do Muay Thai Mulher. Quero fazer um post em conjunto com vocês. Indiquem os seus locais de treinamento. Falem dos seus mestres. Vocês têm amigos que treinam em outras academias? Conte pra mim também.

Poderia fazer a minha lista aqui das academias cariocas: Universo Atlético, em Botafogo; o ClubSix, na Tijuca, a tradicional Delfim, e outras… Mas todas no Rio. Por isso, eu penso que seja legal contar com a sua colaboração para a gente fazer uma relação bacana de locais de treinamento e de opiniões para servir, quem sabe?, de referência para quem está querendo começar. Você do Rio de Janeiro pode colaborar também. Claro! Mas quero a participação de todo mundo!

Deixe seu comentário com as informações, eu monto o post e publico aqui no Muay Thai Mulher. Vamos lá, hein?! Espero sua participação!

A cada dia que passa eu constato que o Muay Thai, de fato, chegou para ficar no universo das atividades físicas para mulheres. Seja na mídia ou mesmo vendo o movimento nas academias, a participação das mulheres nas aulas de luta é um movimento que não parece ter volta. Nós descobrimos os benefícios que esses exercícios podem trazer e viemos para ficar.

Quando comecei a praticar Muay Thai, lá pelo distante ano de 2001, como já disse aqui, assustava as pessoas ao dizer que fazia Boxe Tailandês. Perguntavam se eu não me machucava muito, se não tinha medo, se não ficava roxa. Essas coisas esteriotipadas que as pessoas tendem a perguntar quando não conhecem um assunto. Mas o tempo passa. Atualmente, ao dizer que faço as aulas, sempre encontro alguém querendo detalhes, dizendo que tem vontade de fazer ou mesmo que diz: ‘Eu faço também!’.

Por isso, hoje, eu trago mais um depoimento para mostrar isso que estou descrevendo para vocês. Quem vai contar a sua experiência com o Muay Thai é a Eliane Peixoto, produtora do Programa Show do Antonio Carlos, que trabalha comigo lá na Rádio Globo. Conversávamos casualmente, quando comentei que praticava e ela disse: ‘Eu também!”. Então, tá aí, mais uma a provar a febre que o Muay Thai é para mulheres.

Muay Thai Mulher: Há quanto tempo e onde você faz as aulas de Muay Thai?
Eliane Peixoto: Faço há 03 meses, na Academia ProFit, no Centro, com o mestre Wilson.

MTM:  Como você descobriu o Muay Thai?
E.P: Por curiosidade. Estava na academia fazendo ginástica localizada e resolvi assistir uma aula de Muay Thai para ver qual era, já que eu nunca tinha visto/assistido esse tipo de luta. Fiquei encantada. Participei da primeira aula de curiosidade. A partir daquela data, desisti das aulas de ginástica localizada e montei uma nova grade na academia, onde só tem  Muay Thai.

MTM: O que te motivou a começar as aulas?
E.P.: Foi paixão pelo mestre. Um cara centrado e de muita luz. Ele aplica as aulas com amor, sem discriminação entre homem e mulher, mas sabendo que nós, meninas, somos sexo frágil, sim.

MTM:  O que você mais gosta no treinamento?
E.P.: A forma respeitosa que a luta é feita. Homens e mulheres se misturam num ritmo de aprendizagem/defesa e não de luta/briga.

MTM:  O que o Muay Thai fez por você? Quais benefícios ele trouxe para sua vida?
E.P: Me deixa tranqüila. Quando termino as aulas (faço de segunda a sexta) me sinto aliviada, leve…

MTM: Por que você indica o Muay Thai para as mulheres?
E.P.: Porque é uma luta q mexe com todo o corpo. Meu corpo deu uma moldada em curtíssimo tempo. Não gosto de musculação, mesmo nunca tendo feito.  Vi um resultado rápido no Muay Thai. Inclusive, pra mim, é também uma terapia.

MTM: Eliane Peixoto, muito obrigada pelo seu depoimento. Mil beijos!
E.P.: Bj,bj,bj,bj,bj,bj,bj,bj,bj,bj,bj,bj…

Viu? Mais uma que aderiu aos encantos e benefícios dessa atividade física fantástica! Você pode conferir o trabalho da Eliane, de segunda à sábado, das 6h às 9h da manhã, no Show do Antônio Carlos, na Rádio Globo (AM 1220 e FM 89,3).

E você? Quer dar seu depoimento também ao Muay Thai Mulher? Deixe seu comentário que eu entro em contato!

Tem gente que adora fazer. Se estica toda, põe perna para um lado, corpo para o outro. Dobra a coluna toda. Consegue ficar em qualquer posição sem esboçar qualquer expressão de dor. Você olha e jura que este ser totalmente flexível trabalha no Cirque du Soleil e está ali na sua frente só pra te provar que sua flexibilidade é uma negação.

Mas, ainda bem, essas pessoas não são maioria e o resto dos seres humanos que frequentam a academia devem ser como você e eu; ou seja, até conseguem dar uma esticadinha, mas com certo sacrifício e sem muito prazer.

Ainda que seja difícil e que as expressões de dor se manifestem em suas faces, muitos atletas amadores fazem suas sequências de alongamento. Atletas profissionais têm obrigação de fazer. Muito provavelmente, você já deve ter visto depois dos jogos (no vôlei tem muito isso), os jogadores voltando à quadra para fazer alongamento. Não, não é à toa. Existe uma razão para isso.

Posições de Alongamento.

Alongamento.

Não existe um consenso sobre se o alongamento deve ser feito antes e depois, ou só antes ou só depois, de qualquer atividade física, mas esta pessoa que aqui escreve para o Muay Thai Mulher pode dizer, por experiência própria: o ideal é fazer antes e depois.

O alongamento é fundamental: antes, para preparar seu corpo para uma atividade; e depois, para que ele relaxe do exercício intenso. Normalmente, as séries iniciais são um pouco mais longas e mais variadas, exatamente para que seus músculos se soltem e consigam ter um melhor desempenho. Já ao final, a série deve ser mais curta, menos intensa e mais voltada para a transição da intensidade para  o descanso.

Como já relatei aqui, eu malho e pratico Muay Thai há muitos anos e tenho a mesma rotina de treinamento (não de exercício); ou seja, vou para o trabalho, vou para a academia, malho, faço Muay Thai ou corro e faço aula de abdominal. Neste processo, durante muito tempo, me alongava durante uns 20 minutos antes de começar qualquer coisa e, depois de tudo, fazia mais uma série de uns 10 minutos. Era chato… É chato. Eu não tenho muita paciência para fazer alongamento, confesso. Mas fazia. E não tinha lesões.

Acontece que o tempo passa, a gente envelhece e precisa se cuidar mais para não se machucar. Porém, da mesma forma, quando se entra nessa rotina e se malha com intensidade, uma hora você acaba se tornando negligente e acha que pode cortar algumas etapas e não afetar em nada seu rendimento. Só que isso não é verdade. O alongamento foi o que eu achei supérfluo e me dei mal.

Já faz alguns meses que só faço alongamento nas aulas de Muay Thai, mas ainda assim, chego atrasada no treino e perco boa parte do aquecimento. Sabe o que eu ganhei com isso? Uma lesão na virilha que está me impedindo de treinar direto. Há umas duas semanas, dei um chute alto sem estar devidamente preparada e senti um incômodo. Não liguei e continuei treinando. Nos dias seguintes, continuei com a dor, até que me machuquei mesmo.

Por isso, meu conselho hoje é esse: não deixe de alongar, nem de se aquecer. Mesmo que você não goste, que ache monótono, não fuja dele! Faça e evite ganhar, de graça, uma lesão como eu ganhei!

E você? Gosta de fazer alongamento? Como é o aquecimento no seu treinamento? Compartilhe!