Arquivo da categoria ‘Equipamentos’

Eu durante a minha aula de Muay Thai. Observe o uniforme.

Eu com o uniforme do Muay Thai.

Vou começar este post aqui no Muay Thai Mulher fazendo de cara uma confissão: adoro treinar no saco de areia. Principalmente, quando estou cansada, por que posso dosar meu ritmo sem prejudicar ninguém. Além disso, posso dedicar minha atenção a alguns movimentos que acho que devem ser aprimorados.

Dito isso, explico o porquê do tema: semana passada, como acontece quase sempre, recebemos mais alunas novas na turma. Ao chegarem, óbvio, elas (ou eles) merecem toda a atenção do meu Mestre, que ensina os princípios e movimentos básicos do Muay Thai, enfatizando a posição dos pés, quadris, como socar etc. Às vezes, quando a sala está muito cheia e ele precisa voltar sua atenção para outros alunos, me pede para ajudar e eu treino com os mais novos. Coisa que, aliás, adoro!

Tive a oportunidade, então, de treinar no saco com duas alunas: uma mais antiga e outra mais nova e durante o treinamento pude passar para ambas a importância de usar este equipamento. A aluna mais nova, claro, parecia ter medo do aparelho e eu a incentivava a socar corretamente com mais força ‘por que o saco não reclama’, dizia para ela.

Eis aí a primeira finalidade do saco de areia: tirar o medo do golpe. Nele você pode testar sua precisão, avaliar sua potência e bater o mais forte que puder. Alivia a tensão, certamente, mas vai dar a você uma consciência corporal, além de mostrar quais socos são mais fortes e quais ainda têm que ser aprimorados.

Pude mostrar a essa aluna também, com calma, as posições e os movimentos corretos para os pisões e para os socos, repetindo cada um e mostrando como o saco respondia quando a execução era certa e quando era errada.

Já a outra aluna mais antiga logo foi me perguntando qual a finalidade de treinar no saco de areia. Percebi que muita gente não entende a necessidade desta atividade e me propus a falar sobre o assunto para ela e no Muay Thai Mulher. E o que expliquei foi que este treino faz você:

– Ter noção da sua potência (como havia falado para a outra aluna);
– Corrigir seus movimentos;
– Treinar velocidade junto com a força;
– Treinar o ‘timing’ das sequêcias dos golpes, especialmente se não há ninguém segurando. O saco de areia vai responder a intensidade dos seus socos, chutes e pisões retornando para você, nessa hora seu objetivo será encontrar a hora certa de entrar e sair e de retomar o ataque;
– Treinar em rounds, ajudando no seu condicionamento aeróbico e ensinando controlar o seu ‘gás’.

Ah! Lembre-se das ataduras e das luvas, seja a específica para o saco de areia ou a de luta mesmo. Evite ferir seus dedos pois, geralmente, a couraça do saco (dependendo do seu peso) pode machucar.

Assim, se você nunca treinou ou se não gosta de usar o saco de areia, pense duas vezes antes de implorar ao seu professor para não fazê-lo. Tente uma vez e tenho certeza de que vai gostar. Além de aliviar seu estresse (sempre dou a dica para pensar naquela pessoa que te estressou muito durante o dia. Imaginar que ela está ali e descontar no saco, claro) é um exercício ótimo sob todos os aspectos.

Você gosta de treinar no saco de areia? Qual o seu treinamento preferido? Conte aqui no Muay Thai Mulher, de repente é um dos meus também!

Anúncios

Sei que no último post, prometi a vocês que faria uma série abordando as verdades e as mentiras sobre esta querida e nobre arte marcial. Podem ficar tranquilas leitoras do Muay Thai Mulher: cumprirei minha promessa. Mas neste post, peço licença a vocês pois preciso fazer um registro. Não, mais do que isso, preciso fazer um agradecimento. Espero também que possa ser mais um incentivo.

Não é segredo para ninguém e eu já relatei isso aqui mesmo no blog – faço mea culpa – que eu não tinha uma luva de Muay Thai. Quando comecei a praticar, lá em 2001, não tinha a intenção e nem pensava em um dia chegar tão longe. Meu interesse era fazer um esporte, uma luta que me estimulasse e me desse um bom condicionamento. Só que eu fui fazendo, fui passando nos exames… e cheguei até a preta 9 anos depois de ter começado.

Já é do meu temperamento ser disciplinada e obedecer hierarquia. No Muay Thai, como em qualquer arte marcial (e na vida deveria ser assim também), estes valores têm muita importância, pois ensinam o respeito aos mais velhos, ao seu oponente e aquele que é mais forte ou mais fraco que você. Nunca treinei sem uniforme, nunca treinei sem atadura e, depois que comprei, nunca mais treinei sem o protetor bucal. Porém, sempre falhei em uma coisa: não tinha luva.

Explico: estavam fora do meu orçamento. Eu trabalho desde os meus 19 anos e a partir do meu primeiro salário, ainda como estagiária, sempre ajudei meus pais nas despesas da minha casa. Com o passar do tempo, por óbvio, fui ajudando mais; ou seja, meu salário sempre foi suficiente para passar o mês e cometer, em raros momentos, algumas extravagâncias. Assim, ia adiando… adiando… e nunca sobrava para comprar a luva.

No início deste ano fiquei desempregada e as voltas com todas aquelas dúvidas que a gente tem quando isso acontece, mas – graças a Deus – este problema durou pouco tempo. Entretanto, meu salário no meu novo emprego também não me permite despesas fora do necessário. Meu mestre, que não tem nada a ver com isso (claro!), sempre me cobrou este único deslize.

Minha luva do MMA.

Minha luva do MMA.

Meu irmão que, como vocês sabem, é preparador físico e trabalhou muito tempo com o American Top Team e, tentando sanar meu problema, me deu uma luva oficial de MMA, aquela em que os dedos ficam de fora. Adoro treinar com elas. São leves e você sente bem o soco. Mas não são luvas de Muay Thai. Por isso, volta e meia, quando o treino é de sombra, ou algo assim, tinha que usar uma da sala, o que nem sempre é agradável. Além de ser um material usado por outras pessoas, o tamanho pode não ser adequado para sua mão, o que vai tornar sua luta um tanto insegura.

Claro que ficava desconfortável nessa hora e com um peso enorme na consciência, que apenas fazia aumentar com as graduações que conquistava. Mas é aqui que a história fica bonita:

Nesta última quinta-feira, ao chegar na academia, encontrei – como de costume – meu mestre na sala de musculação. Depois de trocarmos aquele alô, ele virou-se para mim e disse: ‘Tenho um presente pra você’. Na hora, pensei que fosse alguma ironia com algo que aconteceria mais tarde na aula. Algo como: ‘Surpresa!Você vai dar aula hoje’ ou ‘Hoje, vamos fazer só luva…’ essas coisas. Só que não foi nada disso…

Quando entrei no tatame, atrasada (pois essa é uma ligeira concessão que meus anos de treino me permitem) fui encher minha garrafa d’água, colocar minha atadura e fazer meu breve aquecimento (já que venho direto da musculação). De repente, ele chegou do meu lado com um saco na mão (onde estava o par de luvas) e disse: ‘Presente pra você!’. Eu fiquei assustada e com cara de boba, sem saber bem o que falar e apenas perguntei ‘Por quê?’ e ele respondeu: ‘Por você ser uma excelente aluna’. Vocês não têm ideia do que eu senti. Fiquei emocionada e, confesso pra vocês aqui no Muay Thai Mulher, muito orgulhosa de mim.

Minha luva. Presente do meu mestre.

Minha luva. Presente do meu mestre.

Meu mestre, Alessandro Souza, estava reconhecendo meu esforço e a minha dedicação. Foi um prêmio, muito, muito maior do que a luva. Naquela hora, pensei no meu começo e em todas as vezes que pensei em desistir ou quando ia fazer aula mesmo muito cansada, mas firme no compromisso de continuar. Fiquei tocada, agradecida e tive a vitoriosa sensação de que tudo valeu (vale) a pena.

Portanto meu conselho: não desista. Aguente firme e prossiga. Mesmo quando achar que não vai dar. No final, saber que você conseguiu faz toda a diferença. Não tanto para os outros, mas para você mesma!

E você? O que te motiva ou desanima? Divida conosco aqui no Muay Thai Mulher. Sua experiência pode ajudar a outras pessoas.

Tenho recebido muitos comentários de mulheres que estão começando ou ainda querendo começar no Muay Thai, mas que carregam muitas dúvidas sobre esta arte marcial. Devido a uma visão ainda carregada de uma ideia de violência e de um certo preconceito sobre como fica a mulher que pratica o Muay Thai (vide o post anterior que trata do assunto), muitas – ainda que estejam morrendo de vontade de fazer uma aula – acabam tão preocupadas com essas coisas, que desistem antes de começar.

Por isso, o blog Muay Thai Mulher vai fazer alguns posts tratando das verdades e das mentiras sobre o Muay Thai. Aquela dúvida, aquele receio, aquele detalhe que te impede de dar o último passo e fazer uma aula, deixe como comentário no blog que eu vou tentar te dar uma orientação e, se eu não souber, vou procurar alguém que possa ajudar.

Agora, vou falar sobre dois comentários que exemplificam algumas dessas dúvidas.

O primeiro deles diz respeito a calejamento. Uma das leitoras do Muay Thai Mulher quis saber se a mão e outras partes do corpo ficam calejadas com a prática. O que posso dizer é que isso depende.

Será verdade se você estiver voltada para competição. Devido a intensidade do treinamento e a força que você irá impor nos golpes, sim. Será possível que os nós dos seus dedos, seus cotovelos, canela e até pés, possam ficar muito mais grossos e, portanto, apareçam calos ali.

Mas, isto será mentira, se a sua finalidade for apenas praticar o Muay Thai como uma atividade física, para enrijecer o corpo, tonificar e definir os músculos. Sua pele poderá ficar um pouco áspera, mas nada que se possa chamar de calejamento. Pode continuar a usar seus cremes e hidratantes nas mesmas quantidades. Não será necessário gastar um pote deles a cada aula. Se este for o seu medo, pode esquecê-lo e tratar de se encaminhar para o tatame mais próximo de você.

A outra dúvida abordava um assunto que já tratei aqui, lá no comecinho do blog, sobre as ataduras, se a elástica era melhor do que a bandagem que se compra na farmácia.

A resposta aqui é a mesma que a da dúvida anterior: depende. A sua adaptação é que vai dizer qual a que você deve usar. Alguns lutadores usam a de elástico para treinar apenas e na competição usam as bandagens, ou vice versa. Já outros usam as duas para as duas coisas. Eu posso dizer por mim: eu gosto mais da que vende na farmácia. Ela é perecível, ok. Tem uma vida curta, mas para mim, ela é melhor. Consigo sentir melhor meu punho e, por consequência, meu soco. Para que elas durem mais, ao final de cada aula, quando chego em casa, as desenrolo e as deixo penduradas para que sequem e não mofem.

Já as de elástico ou as de pano precisam de uma manutenção maior. É certo que elas vão durar mais, porém você deve lavá-las ao final de cada aula e  deixá-las secando, já que o suor será absorvido por elas. Esquecê-las dentro de sua bolsa após uma aula vai deixá-las com um cheiro ruim. Para usar na aula, elas ficam desenrolando das mãos se você não as colocar corretamente, porém a vantagem é que o velcro facilita na hora de fechar.

Ou seja, depende do que você preferir.

Então, essas foram só duas das dúvidas que recebi aqui no blog. Vocês podem continuar mandando seus comentários. Os próximos posts serão dedicados a esclarecer essas questões. Estou esperando, hein!?

Muito legal a participação de vocês. Continuo recebendo indicações de academias de Muay Thai. Então, aqui vão as mais recentes da lista do Muay Thai Mulher:

Aliás, esqueci de falar de onde eu treino. Perdoem esta falha. Vou corrigí-la agora, começando essa segunda lista pela minha academia:

Academia Universo Altético, Rua São Clemente 155, Botafogo. Rio de Janeiro.
Meu mestre é o Alessandro Souza, e as aulas são de segunda à sexta. Segundas, quartas e sextas, de 19h30min às 20h30min  e as terças e quintas, das 19h às 20h30min.

– A Fabiana de São Paulo treina na academia Combat Sports, completou a informação. A academia fica na Av. Ipiranga. São Paulo capital. É próximo ao metrô República. Ela treina com o mestre Gilmar China que, segundo ela, é muito bom.

– A Hanna, de Santa Catarina,  cita quatro academias em Florianópolis:
-> Raccer, em Trindade;
-> Boxe Thai, no Centro (aulas com o Mestre Peu);
-> Wado-Kan, também no Centro (aulas com Gabriel ou Josué). Aqui, a Hanna deixa sua opinião “Já fiz aula na wado kan, é muito bom o treino lá. O professor não quer nem saber se é iniciante, exige da mesma forma que os outros. Mas é muito bom.”
-> Sest/Senat, no Jardim Atlântico (aulas com Monalisa ou Leonardo). Show, Hanna! Valeu!

– A Andrielli Paes, do Mato Grosso do Sul, indica a Octagon Fight, em Campo Grande, MS. As aulas são com o mestre Michel Igenho.

– A Graça, de São Paulo, indica a academia é Gutty Flex, que fica na Av. João de Andrade, 1671, 2º andar, Jardim Santo Antônio, Osaco, São Paulo. Para quem quiser mais informações, ela deixou o telefone (19) 3592. – 2674. As Aulas são de manhã, à tarde e à noite; às 2a. 4a. e 6a. com Professor Wagner Silva da Equipe Tadeu San Martino.

A todos vocês que já mandaram suas indicações para o Muay Thai Mulher meu muito obrigado. Espero mais academias para que a gente vá aumentando nossa lista!

Você está lendo este post e também treina Muay Thai? Fale com a gente sobre sua academia. Estou esperando!

Gente… quando eu falo!!!

Hoje, mais uma vez lendo o jornal, percebo que as academias abraçaram o boxe (seja ele tradicional ou o Tailandês) com toda força no que toca aproveitá-lo como atividade física voltado, especialmente, para as mulheres.

O que li na manhã deste domingo, na Revista da Tv, do jornal O Globo (obs.: não é propaganda, é porque sou assinante), era para ser mais uma matéria (Até debaixo d’água, de Isabela Caban) sobre novas atividades que as academias oferecem para a galera entrar em forma no verão. Eis que no subtítulo, vou lendo as novidades e encontro: boxe aquático! Corri rapidamente as linhas da matéria até chegar aonde queria. Lá estava.

Então, vai aí, mais uma dica para você que quer começar a praticar e ainda está na dúvida. Seja o boxe ou o Muay Thai para mulheres, você pode tentar uma atividade mais leve que já tenha os movimentos. A tentativa te dará uma noção do que é o esporte e assim pode ajudar na sua decisão de fazer as aulas pra valer.

De acordo com a matéria, existem dois tipos de aula: o Boxe aqua trainning e o Hydroboxe. No primeiro, você faz 30 minutos na sala de aula e depois mergulha na piscina para mais meia hora de socos e chutes dentro d’água. Imagino que dever ser legal, porque a resistência da água torna os movimentos mais lentos e, portanto, mais pesados.

Já na segunda opção, o treino é feito todo dentro d’água e dura 50 minutos. O aluno conta com os acessórios utilizados em um treino tradicional, como luvas e caneleiras (mas em um formato diferente) e faz todos os movimentos como se estivesse no tatame. Também, devido à resistência da água, o peso das movimentações é maior e quanto mais rápido o aluno fizer as repetições, melhor será seu desempenho.

A matéria aponta a academia Estação do Corpo, na Lagoa (RJ) como a precursora desses treinamentos, mas, com certeza, com o verão se aproximando, em breve, você encontrará essas aulas em uma academia perto de você. Então, fique esperta!

Você já fez algum tipo de treinamento alternativo com os movimentos do Muay Thai? Ou mesmo essas aulas citadas no post? Como foi? Conte!

Já falamos aqui, em outras oportunidades, que o Muay Thai não é um esporte ou uma atividade física para mulheres que vão à academia para fazer ‘perfumaria’, como quem malha de verdade costuma chamar quem apenas fica batendo papo ao invés de se exercitar. Então, se você é esse tipo de pessoa que acredita que apenas por estar no local  e movida pelo poder da mente, vai emagrecer e tonificar a musculatura, mude de blog e de atividade. Mas eu acredito que se você está lendo é por que está levando o Muay Thai à sério e isso é muito legal.

Hoje, mais uma orientação que eu posso te dar a esse respeito é sobre o protetor bucal. Concordo: usá-lo é horrível. A gente fica feia mesmo! Ainda que você não queira, vai ficar com cara de má. Por outro lado, sem ele, você pode correr o risco – pequeno, é verdade, porém ainda assim um risco – de se machucar, aí, o dentista pode dar mais prejuízo.

Protetor bucal.

Protetor bucal.

O protetor não custa muito caro. Com menos de R$20,00 você consegue comprar um de boa qualidade. Existem dois tipos:

  • O que protege as duas arcadas: a superior e a inferior;
  • O que é colocado apenas na superior.
  • Este último é o que eu uso. É melhor para respirar e não dá a sensação de sufocamento. Esse equipamento também é bom, pois ensina a respirar pelo nariz e a dosar seu condicionamento.

    Não é necessário treinar o tempo todo com o protetor. Mas ele deve ser usado quando você estiver fazendo movimentações e, mais ainda, se estiver fazendo luva ou sombra. Você evita riscos desnecessários. Pode acontecer de escapar um soco ou um chute, mas o protetor te dá essa segurança e para a sua parceira também.

    Importante: não esqueça de lavá-lo depois de cada treino. É legal, para mantê-lo limpo, usar uma escova de dentes e um enxagüante bucal. Com o tempo, a sua saliva e seus dentes irão corroer o material e ele não ficará com uma boa aparência.  Tomando esses cuidados, você evita que o protetor acumule sujeira e mantém seus dentes e gengivas protegidas, tanto de pancadas como de qualquer outro problema.

    Você está treinando para ficar bem: saudável e com um corpo legal; então, enquanto estiver no tatame, faça a sua parte e você verá os resultados! Pode confiar!

    Você treina usando protetor? Não quer usar? Tem alguma dúvida? Divida conosco.

    Quando fiz o post sobre equipamentos necessários para serem utilizados na aula de Muay Thai e para serem de uso do aluno, falei rapidamente sobre as ataduras. Hoje, vou dedicar um pouco mais de atenção a esse material importante.

    Assim que você pisar no tatame, na sua primeira aula, o seu professor vai te ensinar a colocá-la nas mãos. Se você faz há muito tempo, já sabe como colocar. Porém, dependendo da intensidade do seu treinamento, você pode estar machucando os nós dos dedos sem perceber por estar usando a atadura errada, ou de forma errada.

    Então, você mulher, seja iniciante ou veterana nas aulas de Muay Thai, vale ter atenção com as suas ataduras. Vejo muitas meninas machucando os dedos por conta de não protegerem corretamente as mãos. Em primeiro lugar, você deve perceber se está fechando a mão corretamente para socar. Lembre-se, não é um cascudo, é um soco. Portanto, o punho deve estar totalmente cerrado e o polegar para dentro.

    O que acontece é que, muitas vezes, a aluna enrola muito mais a atadura na parte superior da mão acreditando que  assim evitará um machucado. Erro duplo. Primeiro, porque você não vai conseguir fechar a mão. Segundo, por que seu punho ficará desprotegido e, durante a execução do soco, você pode dobrá-lo, sem querer, e aí sim, se lesionar de verdade.

    Se você soca forte, então, é legal aprender a cruzar a atadura entre os dedos. Vai cobrir os nós e vai te dar mais firmeza. É assim que eu faço. É assim que lutadores profissionais fazem. Pode perceber. Além disso, ajuda a fechar a mão melhor.

    Outro detalhe importante é usar a atadura com firmeza. Ela não deve estar muito apertada, mas também não pode estar muito solta na mão. Ela deve ficar firme no punho, ainda mais se você tem tendência a machucar essa área. Como eu, por exemplo, que tenho o popular “punho aberto”. Aliás, fazer exercícios de musculação para reforçar esta área é muito interessante. Converse com seu professor se você sente algum desconforto na área.

    Existe também a questão da atadura de pano e da atadura comum. Eu já treinei com as duas e prefiro usar a comum. Ambas têm seus prós e contras. A atadura de pano dura mais e é esteticamente mais atraente. Depois da aula, você lava, põe para secar e ela está pronta pra outra. Mas, o velcro vai se acabar logo e você deve comprar uma do tamanho ideal para sua mão. Vejo muitas meninas no treino, parando a toda hora para acertar a atadura, porque ela vai afrouxando e desenrola. Quando usei, ela me incomodava bastante.

    As ataduras comuns acabam logo, é verdade. Depois de algumas aulas, você vai ter que trocá-las (não esqueça de pendurá-las depois da aula!), porque elas vão se desgastando naturalmente. Porém, são baratinhas. Além disso, se ajustam melhor entre os dedos e, por conseqüência, às mãos, e cabem melhor na luva.

    Você deve escolher a que melhor se adapta ao seu estilo. Mas tenha segurança com elas e as coloque corretamente. Se você ainda tem dificuldade, não se acanhe em pedir ajuda a uma companheira mais graduada ou mesmo ao seu professor.

    Outro truque bom para evitar aqueles machucadinhos que podem acontecer nos dedos é colocar esparadrapo nas falanges. Isto também vai te dar mais segurança para bater bem, te ajudando a colocar para fora todo o seu estresse.

    Você tem alguma dica de treinamento? Compartilhe!

    Nada como o boca-a-boca.

    Vou relatar uma coisa feia agora: embora pratique o Muay Thai há tantos anos, não tenho uma luva. Nunca comprei uma. Sempre usei a da academia. Coisa feia, né?! Eu reconheço! Logo eu, que já escrevi aqui sobre a importância de se ter um material próprio…

    Mas o fato é que luvas de 14 oz, que são as usadas, são caras e meu irmão me presenteou uma vez com um par de luvas oficiais do MMA (aquelas que deixam os dedos pra fora), que são ótimas para bater. Eu as uso na aula, só não posso usar se estiver fazendo luva ou sombra.

    Assim como eu, muita gente não tem suas luvas e meu Mestre vive cobrando. Luvas de boa qualidade custam mais de R$ 150,00 e nem sempre temos esse dinheiro à disposição. Foi então que, conversando com uma amiga da turma, recebi uma grande dica, e eu vou dividir com vocês agora.

    No site do Walmart, lá dos EUA, as luvas da Everlast estavam custando uns 24 dólares, o que convertendo para o real, não dá nem R$ 50,00. Ainda assim, com o custo de envio, acredito que não chegue nem a R$90,00. Não acreditei muito, mas hoje fui conferir. É verdade! E o melhor para nós, mulheres, é que há de várias cores: rosa, roxa… pelo que vi, ainda estão no estoque!

    Se você estiver pensando em comprar uma luva ou um outro equipamento, vale a pena visitar o Walmart e fazer as suas contas. Acho que é muito mais negócio! Compare com os preços do Walmart Brasil ou do Netshoes, por exemplo, e tire suas conclusões. Aproveite que hoje é sábado e faça uma pesquisa. Quem sabe você não faz umas comprinhas também? Eu estou quase fazendo!

    E você? Tem alguma dica boa? Comprou algum equipamento por um bom preço? Conte pra´gente!

    Quando você se dispõe a praticar um esporte, sabe que vai ter que conviver, durante a prática, com algumas impossibilidades e, às vezes, com algum incômodo.

    Por exemplo: se você curte praia e quer fazer – sei lá – surf, entende que vai ter que conviver com a parafina, com assaduras, etc, etc, etc. Se você vai fazer vôlei de praia, ou futvôlei, sabe que, em algumas ocasiões, vai ter que jogar com o sol à pino, com a areia escaldante e, no caso das mulheres (se for competição), com aqueles biquínis e tops que entram e que deixam a areia entrar por todos os lugares. Se você for jogar futebol, basquete… Enfim…

    Em todos esses casos, e principalmente nos esportes em que haja contato, algumas regras fazem menção aos acessórios utilizados. Brincos, pulseiras, anéis, não são permitidos por que podem, em algum momento, machucar o adversário.

    Anéis não combinam com soco.

    Mão com anéis

    O mesmo acontece, claro, no Muay Thai. Algumas mulheres, por medo de perder a identificação com o seu lado feminino, sei lá, gostam de treinar com brincos, pulseiras, anéis, piercings… Aqui, então, vai o alerta de alguém que treina há 9 anos e que utiliza, no seu dia-a-dia, cinco brincos, cinco anéis e uma pulseira: Não use durante o treinamento.

    Na hora da aula, procure tirar tudo, isto porque você vai estar em contato com uma outra pessoa. Alguns movimentos como a joelhada, por exemplo, necessitam que você segure a sua parceira na altura da nuca/pescoço. Treine com a atadura que treinar – seja de pano ou a comum – se sua companheira de treino usa milhares de brincos e piercing, a probabilidade de um deles ser arrancando durante um desses movimentos é grande. Eu já vi acontecer e eu mesma já foi protagonista de vários desses puxões em parceiras. Tanto é que, quando treino com alguém que usa, fico tão cheia de cuidados que acabo não executando o movimento correto. Resultado: bronca do meu mestre. Isso vale para cordões também!

    No caso dos piercings, como não dá pra tirar. Lembre-se, contudo, de colocar um esparadrapo. Anéis estão fora. Mesmo que seja aliança de casamento. Socar com anel machuca sua parceira e a sua mão!

    Mesma dificuldade para aquelas mulheres que treinam com a aquela pulseira de tornozelo. Incomoda e pode machucar ao executar chutes e, pior ainda, se for para treinar defesa com a caneleira.

    As unhas exigem atenção. Eu já treinei com elas enormes, mas também tive problemas. Um deles pelo mesmo motivo do brinco no treino de joelhada. Ao executar esse movimento rápido, você pode arranhar, sem querer sua parceira; e outro problema é para socar. Com ou sem as luvas, as mãos não fecham corretamente. Eu mantenho minhas unhas com um tamanho razoável e feitas, na maior parte das vezes. Não estraga, nem descasca o esmalte. Pode treinar assim, sem problemas.

    A hora do treino é hora do treino. Não é desfile de moda! Você não estará sendo avaliada pelos seus acessórios e sim pela sua disposição física. Aliás, essa avaliação será feita por você mesma e, com aplicação, os resultados virão mais rapidamente. Aí sim, quando você for à praia ou for sair, pode usar e abusar de tudo o que o universo feminino permite, levando a vantagem de estar com um corpo com tudo em cima!

    Você tem alguma dica para os acessórios durante o treinamento? Já se machucou por causa disso? Deixe seu comentário. Quero saber a sua opinião!

    Eu durante a minha aula de Muay Thai. Observe o uniforme.

    Eu com o uniforme do Muay Thai.

    Antes que você reclame, eu já vou concordar. O uniforme do Muay Thai não é dos mais bonitos para mulheres, até mesmo porque, ele não é pensado para mulheres.

    Assim como a maioria dos esportes desde o início dos tempos foi estruturado e praticado apenas por homens, as dimensões dos campos ou quadras, pesos das bolas, além de outros equipamentos e os uniformes (e tudo mais), obviamente foram criados para o biotipo masculino. Porém, com o passar dos tempos, nós, o sexo frágil, começamos a entrar neste mundo fantástico das atividades esportivas e hoje praticamos quase tudo.

    Alguns esportes conseguiram superar preconceitos e hoje são tão populares para o público, independente do gênero; casos como o tênis, o vôlei, o basquete, o atletismo… que para estes, as mulheres (diante de resultados expressivos), conseguiram seu espaço e uniformes adequados.

    Já outros, como o futebol, por exemplo, ainda guardam velhos preconceitos e, apenas agora, as meninas que jogam (pelo menos pela seleção) conseguiram uniformes menos piores, embora ainda longe do ideal.

    O mesmo acontece com o Muay Thai. Quando comecei a fazer, no longínquo ano de 2001, o uniforme era composto pela camisa do professor, ou da academia, de uma calça e de uma faixa, assim como a do judô. Contudo, com a popularização do esporte no Brasil, as federações e ligas resolveram adotar o visual tradicional da luta. Assim, o uniforme passou a ser: a camisa do professor ou da academia, o short e o kruang, que é o grau do aluno, que substitui a faixa e é uma corda amarrada no bíceps. Para as meninas, ainda, há um item muito, muito importante: o top.

    Dica: use um top apertado, com tiras grossas. Nada daqueles que parecem biquínis. Você vai fazer muitos movimentos e ficar ajeitando o top e os seios durante a aula não é nada agradável!

    Realmente, para nós, meninas, não é lá o visual dos mais femininos, nem dos mais interessantes, mas, não tem jeito, é obrigatório! Ou seja, gostando ou não, você vai ter que usar!

    Um dos tipos de equipamento para o público feminino.

    Muay Thai - Short Rosa

    No entanto, calma! Não entre em pânico. Como disse antes, o esporte se popularizou e, pelo menos, no quesito moda, nós ganhamos alguns mimos dos fabricantes de material esportivo. Atualmente, é possível encontrar shorts, luvas, ataduras e toda a sorte de equipamentos em muitos tamanhos e cores, inclusive na cor rosa.

    Ou seja, o Muay Thai pode não ter lá o mais sexy dos uniformes, mas, pelo menos, ainda assim, você poderá ficar ‘fashion’.

    O que você acha do uniforme? Alguma sugestão para tornar o look mais feminino? Aguardo sua opinião!