Arquivo de agosto, 2010

Já falamos aqui, em outras oportunidades, que o Muay Thai não é um esporte ou uma atividade física para mulheres que vão à academia para fazer ‘perfumaria’, como quem malha de verdade costuma chamar quem apenas fica batendo papo ao invés de se exercitar. Então, se você é esse tipo de pessoa que acredita que apenas por estar no local  e movida pelo poder da mente, vai emagrecer e tonificar a musculatura, mude de blog e de atividade. Mas eu acredito que se você está lendo é por que está levando o Muay Thai à sério e isso é muito legal.

Hoje, mais uma orientação que eu posso te dar a esse respeito é sobre o protetor bucal. Concordo: usá-lo é horrível. A gente fica feia mesmo! Ainda que você não queira, vai ficar com cara de má. Por outro lado, sem ele, você pode correr o risco – pequeno, é verdade, porém ainda assim um risco – de se machucar, aí, o dentista pode dar mais prejuízo.

Protetor bucal.

Protetor bucal.

O protetor não custa muito caro. Com menos de R$20,00 você consegue comprar um de boa qualidade. Existem dois tipos:

  • O que protege as duas arcadas: a superior e a inferior;
  • O que é colocado apenas na superior.
  • Este último é o que eu uso. É melhor para respirar e não dá a sensação de sufocamento. Esse equipamento também é bom, pois ensina a respirar pelo nariz e a dosar seu condicionamento.

    Não é necessário treinar o tempo todo com o protetor. Mas ele deve ser usado quando você estiver fazendo movimentações e, mais ainda, se estiver fazendo luva ou sombra. Você evita riscos desnecessários. Pode acontecer de escapar um soco ou um chute, mas o protetor te dá essa segurança e para a sua parceira também.

    Importante: não esqueça de lavá-lo depois de cada treino. É legal, para mantê-lo limpo, usar uma escova de dentes e um enxagüante bucal. Com o tempo, a sua saliva e seus dentes irão corroer o material e ele não ficará com uma boa aparência.  Tomando esses cuidados, você evita que o protetor acumule sujeira e mantém seus dentes e gengivas protegidas, tanto de pancadas como de qualquer outro problema.

    Você está treinando para ficar bem: saudável e com um corpo legal; então, enquanto estiver no tatame, faça a sua parte e você verá os resultados! Pode confiar!

    Você treina usando protetor? Não quer usar? Tem alguma dúvida? Divida conosco.

    Como vocês sabem, o objetivo deste blog é falar sobre como o Muay Thai pode ajudar as mulheres a perder peso, tonificar a musculatura e ainda aliviar o estresse. Ainda que existam muitas mulheres já competindo, de verdade – e sentimos um grande orgulho por isso – este espaço é dedicado àquelas que, como eu, querem tirar o melhor proveito físico deste esporte.

    Abdominais.

    Final da aula de Muay Thai.

    Então, você deve estar se perguntando, por que esse preâmbulo todo? Esta introdução é para que você não esqueça que mesmo sem objetivos competitivos, você tem que suar para chegar onde quer. O Muay Thai é uma atividade física vigorosa que pode trazer muitos benefícios, desde que você se dedique.

    Desde que comecei a fazer as aulas, vi várias mulheres (de todas as faixas etárias) entrarem e saírem por acharem que não estava adiantando muita coisa. Realmente, não vai adiantar mesmo. Se você apenas pratica o Muay Thai e não faz outra atividade, chega na aula sempre atrasada, perde o aquecimento, acha incômodo os movimentos, não se esforça nos abdominais e quando chega em casa, come uma pizza inteira ou acaba com uma caixa de bombom, de fato, nem o Muay Thai e nem outra atividade vai funcionar!

    É preciso que a gente se conscientize que os resultados só vão aparecer com o esforço. Esforço de ir aos treinos, de se dedicar e de tentar levar uma vida mais saudável longe da academia. Em um post anterior, já falamos sobre alimentação equilibrada e que ela não é, e não precisa ser, um sacrifício espartano.

    Por isso, se você apenas está fazendo aulas de Muay Thai para ficar em forma é importante que você usufrua de toda a aula. Chegue na hora. Faça o aquecimento inicial que é fundamental para evitar lesões e para que seu desempenho seja melhor. Faça os movimentos dentro do seu ritmo, mas dê o seu melhor. Faça os abdominais no final da aula com concentração. Eles são importantes pra além da parte estética, pois fortalecem esta musculatura, o que ajuda bastante na execução dos golpes.

    Portanto, se você chega desmotivada ao treino, achando que não está adiantando muita coisa, faça uma revisão na sua rotina, no seu empenho nas aulas. Você não precisa se matar. Nada disso! Mas deve existir dedicação.

    Aproveite que mais uma semana está começando e siga este conselho. A musculação e o Muay Thai me ensinaram que nada vem sem esforço. Para você chegar ao topo da escada, tem que subir o primeiro degrau. Ainda que pule um ou dois, terá que passar por muitos! Assim é com tudo!

    Comece se esforçando um pouquinho mais hoje, depois amanhã e você vai ver com o tempo, quantos degraus já terá subido. Aí então, você vai poder ter certeza de estar usufruindo de todos os benefícios que o Muay Thai pode trazer! Entenda: milagres não existem. Existe dedicação!

    Você tem alguma dica para melhorar o desempenho nos treinos? Conte aqui!

    Quando fiz o post sobre equipamentos necessários para serem utilizados na aula de Muay Thai e para serem de uso do aluno, falei rapidamente sobre as ataduras. Hoje, vou dedicar um pouco mais de atenção a esse material importante.

    Assim que você pisar no tatame, na sua primeira aula, o seu professor vai te ensinar a colocá-la nas mãos. Se você faz há muito tempo, já sabe como colocar. Porém, dependendo da intensidade do seu treinamento, você pode estar machucando os nós dos dedos sem perceber por estar usando a atadura errada, ou de forma errada.

    Então, você mulher, seja iniciante ou veterana nas aulas de Muay Thai, vale ter atenção com as suas ataduras. Vejo muitas meninas machucando os dedos por conta de não protegerem corretamente as mãos. Em primeiro lugar, você deve perceber se está fechando a mão corretamente para socar. Lembre-se, não é um cascudo, é um soco. Portanto, o punho deve estar totalmente cerrado e o polegar para dentro.

    O que acontece é que, muitas vezes, a aluna enrola muito mais a atadura na parte superior da mão acreditando que  assim evitará um machucado. Erro duplo. Primeiro, porque você não vai conseguir fechar a mão. Segundo, por que seu punho ficará desprotegido e, durante a execução do soco, você pode dobrá-lo, sem querer, e aí sim, se lesionar de verdade.

    Se você soca forte, então, é legal aprender a cruzar a atadura entre os dedos. Vai cobrir os nós e vai te dar mais firmeza. É assim que eu faço. É assim que lutadores profissionais fazem. Pode perceber. Além disso, ajuda a fechar a mão melhor.

    Outro detalhe importante é usar a atadura com firmeza. Ela não deve estar muito apertada, mas também não pode estar muito solta na mão. Ela deve ficar firme no punho, ainda mais se você tem tendência a machucar essa área. Como eu, por exemplo, que tenho o popular “punho aberto”. Aliás, fazer exercícios de musculação para reforçar esta área é muito interessante. Converse com seu professor se você sente algum desconforto na área.

    Existe também a questão da atadura de pano e da atadura comum. Eu já treinei com as duas e prefiro usar a comum. Ambas têm seus prós e contras. A atadura de pano dura mais e é esteticamente mais atraente. Depois da aula, você lava, põe para secar e ela está pronta pra outra. Mas, o velcro vai se acabar logo e você deve comprar uma do tamanho ideal para sua mão. Vejo muitas meninas no treino, parando a toda hora para acertar a atadura, porque ela vai afrouxando e desenrola. Quando usei, ela me incomodava bastante.

    As ataduras comuns acabam logo, é verdade. Depois de algumas aulas, você vai ter que trocá-las (não esqueça de pendurá-las depois da aula!), porque elas vão se desgastando naturalmente. Porém, são baratinhas. Além disso, se ajustam melhor entre os dedos e, por conseqüência, às mãos, e cabem melhor na luva.

    Você deve escolher a que melhor se adapta ao seu estilo. Mas tenha segurança com elas e as coloque corretamente. Se você ainda tem dificuldade, não se acanhe em pedir ajuda a uma companheira mais graduada ou mesmo ao seu professor.

    Outro truque bom para evitar aqueles machucadinhos que podem acontecer nos dedos é colocar esparadrapo nas falanges. Isto também vai te dar mais segurança para bater bem, te ajudando a colocar para fora todo o seu estresse.

    Você tem alguma dica de treinamento? Compartilhe!

    Nada como o boca-a-boca.

    Vou relatar uma coisa feia agora: embora pratique o Muay Thai há tantos anos, não tenho uma luva. Nunca comprei uma. Sempre usei a da academia. Coisa feia, né?! Eu reconheço! Logo eu, que já escrevi aqui sobre a importância de se ter um material próprio…

    Mas o fato é que luvas de 14 oz, que são as usadas, são caras e meu irmão me presenteou uma vez com um par de luvas oficiais do MMA (aquelas que deixam os dedos pra fora), que são ótimas para bater. Eu as uso na aula, só não posso usar se estiver fazendo luva ou sombra.

    Assim como eu, muita gente não tem suas luvas e meu Mestre vive cobrando. Luvas de boa qualidade custam mais de R$ 150,00 e nem sempre temos esse dinheiro à disposição. Foi então que, conversando com uma amiga da turma, recebi uma grande dica, e eu vou dividir com vocês agora.

    No site do Walmart, lá dos EUA, as luvas da Everlast estavam custando uns 24 dólares, o que convertendo para o real, não dá nem R$ 50,00. Ainda assim, com o custo de envio, acredito que não chegue nem a R$90,00. Não acreditei muito, mas hoje fui conferir. É verdade! E o melhor para nós, mulheres, é que há de várias cores: rosa, roxa… pelo que vi, ainda estão no estoque!

    Se você estiver pensando em comprar uma luva ou um outro equipamento, vale a pena visitar o Walmart e fazer as suas contas. Acho que é muito mais negócio! Compare com os preços do Walmart Brasil ou do Netshoes, por exemplo, e tire suas conclusões. Aproveite que hoje é sábado e faça uma pesquisa. Quem sabe você não faz umas comprinhas também? Eu estou quase fazendo!

    E você? Tem alguma dica boa? Comprou algum equipamento por um bom preço? Conte pra´gente!

    Eu me lembro bem da primeira vez que fiz o exame e da primeira vez que recebi a minha graduação. Quando comecei a fazer, não tinha (como ainda não tenho), a menor pretensão de entrar em competições ou coisa do tipo. Sempre exigi muito de mim nas aulas, porque assim eu acho que meu retorno seria maior. Via e vejo o Muay Thai como uma atividade vigorosa e não consigo mais parar de treinar!

    Desde que comecei a fazer meus músculos e preparo físico melhoraram bastante e é exatamente por isso que faço o Muay Thai. Mas, mesmo com meu objetivo não sendo a competição, fui fazendo os exames e recebendo as graduações até chegar a que tenho hoje. Vejo o meu Kruang preto não como uma qualificação técnica ou coisa assim. Eu o vejo como prêmio pela minha dedicação e disciplina. Por não ter desistido e por nunca ter parado, ainda que muita gente não entendesse. Quando comecei também, muito poucas mulheres praticavam o Muay Thai e muito menos ainda com esse objetivo. Mas isso vem mudando.

    Graduação no Muay Thai.

    Graduação no Muay Thai.

    Por isso, sempre quando meus companheiros de aula recebem as suas graduações, eu fico muito, muito contente! Pelo esforço, pela vontade, compromisso e dedicação que envolvem conquistar uma nova graduação. Mais feliz ainda fico quando uma mulher recebe. Ontem, foi mais um desses dias. Meu Mestre, Alessandro Souza, entregou as graduações do último exame. Uma das pessoas a receber foi a Helena, que você vê aí comigo na foto.

    Este post é para você se animar com o exemplo da Helena e perder de vez o medo de começar. Por falar nisso: Parabéns, garota! E para todos os meninos da turma também!

    E você? Se animou? Já conquistou alguma coisa que te deixou orgulhosa? Comente!

    Quando você se dispõe a praticar um esporte, sabe que vai ter que conviver, durante a prática, com algumas impossibilidades e, às vezes, com algum incômodo.

    Por exemplo: se você curte praia e quer fazer – sei lá – surf, entende que vai ter que conviver com a parafina, com assaduras, etc, etc, etc. Se você vai fazer vôlei de praia, ou futvôlei, sabe que, em algumas ocasiões, vai ter que jogar com o sol à pino, com a areia escaldante e, no caso das mulheres (se for competição), com aqueles biquínis e tops que entram e que deixam a areia entrar por todos os lugares. Se você for jogar futebol, basquete… Enfim…

    Em todos esses casos, e principalmente nos esportes em que haja contato, algumas regras fazem menção aos acessórios utilizados. Brincos, pulseiras, anéis, não são permitidos por que podem, em algum momento, machucar o adversário.

    Anéis não combinam com soco.

    Mão com anéis

    O mesmo acontece, claro, no Muay Thai. Algumas mulheres, por medo de perder a identificação com o seu lado feminino, sei lá, gostam de treinar com brincos, pulseiras, anéis, piercings… Aqui, então, vai o alerta de alguém que treina há 9 anos e que utiliza, no seu dia-a-dia, cinco brincos, cinco anéis e uma pulseira: Não use durante o treinamento.

    Na hora da aula, procure tirar tudo, isto porque você vai estar em contato com uma outra pessoa. Alguns movimentos como a joelhada, por exemplo, necessitam que você segure a sua parceira na altura da nuca/pescoço. Treine com a atadura que treinar – seja de pano ou a comum – se sua companheira de treino usa milhares de brincos e piercing, a probabilidade de um deles ser arrancando durante um desses movimentos é grande. Eu já vi acontecer e eu mesma já foi protagonista de vários desses puxões em parceiras. Tanto é que, quando treino com alguém que usa, fico tão cheia de cuidados que acabo não executando o movimento correto. Resultado: bronca do meu mestre. Isso vale para cordões também!

    No caso dos piercings, como não dá pra tirar. Lembre-se, contudo, de colocar um esparadrapo. Anéis estão fora. Mesmo que seja aliança de casamento. Socar com anel machuca sua parceira e a sua mão!

    Mesma dificuldade para aquelas mulheres que treinam com a aquela pulseira de tornozelo. Incomoda e pode machucar ao executar chutes e, pior ainda, se for para treinar defesa com a caneleira.

    As unhas exigem atenção. Eu já treinei com elas enormes, mas também tive problemas. Um deles pelo mesmo motivo do brinco no treino de joelhada. Ao executar esse movimento rápido, você pode arranhar, sem querer sua parceira; e outro problema é para socar. Com ou sem as luvas, as mãos não fecham corretamente. Eu mantenho minhas unhas com um tamanho razoável e feitas, na maior parte das vezes. Não estraga, nem descasca o esmalte. Pode treinar assim, sem problemas.

    A hora do treino é hora do treino. Não é desfile de moda! Você não estará sendo avaliada pelos seus acessórios e sim pela sua disposição física. Aliás, essa avaliação será feita por você mesma e, com aplicação, os resultados virão mais rapidamente. Aí sim, quando você for à praia ou for sair, pode usar e abusar de tudo o que o universo feminino permite, levando a vantagem de estar com um corpo com tudo em cima!

    Você tem alguma dica para os acessórios durante o treinamento? Já se machucou por causa disso? Deixe seu comentário. Quero saber a sua opinião!

    Show de abertura para o cantor Sting.

    Júlia no palco em SP, abrindo o show do Sting.

    Muita gente do meio artístico pratica Muay Thai como uma maneira de manter a forma. Uma dessas artistas vem a ser a cantora Júlia Tolipan, vocalista do Afroreggae e uma das apresentadoras do programa de Rádio Conexões Urbanas, ao lado de Patrícia Ferrer. O Conexões vai ao ar na rádio Roquete Pinto (94,1 FM), de segunda à sexta, às 5 horas da tarde e também na Rádio OI FM, aos sábados, às 19 horas. Se você quiser participar, aliás, é só entrar em contato pelo msn: urbanas@hotmail.com .

    Pois a Júlia treina comigo e hoje, com grande prazer, eu trago para vocês a breve entrevista que fiz com ela sobre a sua opção pelo Muay Thai. Conheçam um pouco dessa grande pessoa, cantora e amiga: Júlia Tolipan.

    Blog Muay Thai Mulher: Júlia, antes de mais nada, fale um pouco sobre seu trabalho no Afroreggae e também no programa Conexões Urbanas?

    Júlia Tolipan: Eu já cantava com um grupo de Rap chamado “Julinha e Ber Mc” , até que meu cd demo chegou nas mãos do José Junior, coordenador do Afroreggae. A gente começou a se falar e ele me convidou para conhecer o projeto em Vigário Geral. Passei uma tarde de sábado por lá e conheci toda a história da comunidade e o surgimento do Grupo Cultural Afroreggae. Fiquei encantada. Logo depois veio o convite para minha primeira turnê. Fui com a Banda Afroreggae para Brasília e fiz uma participação no show, foi emocionante. A partir daí me tornei integrante do grupo. Fiz vários shows pelo mundo a fora. Momentos incríveis. Aprendi muito. Fiquei por 4 anos na Banda e recebi mais um convite do Junior, que hoje é mais uma das minhas paixões, o programa de rádio CONEXÕES URBANAS. Não tinha experiência nenhuma, aprendi tudo na prática, e hoje apresento 2 programas de rádio, os dois fazem parte do Afroreggae e carregam o mesmo nome, “CONEXÕES URBANAS”, de segunda à sexta às 5 da tarde é na Roquette Pinto e todo sábado às 7 da noite na OI Fm.

    BLOG: Você sempre praticou atividade física? Algum esporte?

    J.T.: Sempre gostei de esportes, atividade física, mas confesso que muitas vezes entrei, comecei e logo parei. Não dei muita continuidade aos exercícios, me cansava a rotina. Por isso, acabei fazendo várias atividades diferentes.

    BLOG: Por que você escolheu o Muay Thai? Há quanto tempo você freqüenta as aulas?

    J.T.: Uma amiga minha (fafá) já fazia há algum tempo o Muay Thai e, numa viagem, ela começou a me ensinar alguns golpes e eu adorei!!! Logo depois da viagem, fui fazer uma aula experimental e me apaixonei. Frequento as aulas há mais ou menos 4 anos , não consecutivos. Inclusive, no momento, estou parada. Mas volto mês que vem! (Nota do Blog: Estamos aguardando!)

    BLOG: O que você mais gosta na aula e do que sente mais falta quando, por ventura, deixa de ir?

    J.T.: Sinto falta de extravasar. É muito estressante o dia-a-dia. O Muay thai se tornou uma espécie de análise mental e corporal, sabe, alivia, te faz pensar no exercício, dá equilíbrio, força, velocidade, defesa, ataque, raciocínio e além disso tudo, ainda emagrece e define. Olha que maravilha!!! Não existe nada melhor. Depois que comecei o Muay Thai, não quis mais fazer qualquer outro exercício. Nada substitui. E claro que gostei tanto porque também gosto muito do meu mestre Alessandro Souza.

    BLOG: Quais os benefícios que o Muay Thai trouxe para você, tanto do ponto de vista estético, quanto de saúde?

    J.T.: Disciplina, me trouxe tranquilidade, meu corpo teve um rápido resultado. Me deu mais equilíbrio e preocupação com minha alimentação.

    BLOG: O Muay Thai te ajudou no seu condicionamento físico de alguma forma, já que você faz shows e tem uma vida bastante movimentada?

    J.T.: Nossa, me ajudou muuuito! Percebo muito a falta que me faz quando fico horas em cima de um trio elétrico cantando!!!! Os treinos me dão mais disposição no dia-a-dia!

    BLOG: O Muay Thai é uma atividade que você aconselharia às mulheres a praticarem?

    J.T.: Eu aconselho sempre! É um excelente exercício para as mulheres. Principalmente, para as que tem muita TPM! Rs

    BLOG: Júlia, muito obrigada por esse bate-papo! Muay Thai!

    J.T.: Muay Thai!!!!!!!! Adorei!!!! bjocassss

    Não deixem de acompanhar o Conexões Urbanas e de curtir mais do super trabalho da Júlia e do Afroreggae.

    Gostou? Tem alguma pergunta para a Júlia? Deixe seu comentário.

    Letícia treinando

    Letícia treinando

    A frase acima faz parte do depoimento de Letícia Barcellos, de 16 anos, estudante do 2º ano do ensino médio e uma das minhas companheiras na aula de Muay Thai da academia Universo Atlético. Hoje, é ela quem dá o seu depoimento sobre a prática.

    Acompanhe e ganhe mais um incentivo para começar a treinar. É mais uma prova de que, independente da idade, é um exercício sempre bom para as mulheres. Lelê, meus agradecimentos pela sua preciosa participação! Tô de olho, hein!

    Com a palavra, Letícia:

    ‘Comecei a fazer Muay Thai a 1 ano e alguns meses. Fiz ballet e outras danças a minha vida inteira, mas tive que parar aos 12 anos por problemas fisicos.

    Depois de uns seis meses descobri o Muay Thai. Vi algumas coisas na TV, alguns amigos meus faziam também, então eu acabei tento vontade de entrar, mas eu não sabia aonde fazer, até descobrir que meu irmão fazia. Enrolei um pouco, por preguiça e pelo meu pai também, que não queria que a filha dele lutasse, mas enfim consegui convencê-lo.

    Letícia durante a aula

    Letícia treinando com a manopla.

    Bom, entrei em maio do ano passado (2009), consegui o grau vermelho em dezembro do mesmo ano e pretendo chegar ao grau preto. Vai demorar um pouco, mas chegarei lá.

    Quando entrei não esperava gostar tanto assim, acho que me indentifiquei com o Muay Thai, talvez pelo meu jeito, minha personalidade, não sei, mas eu me divirto muito e por mais que canse, eu relaxo lá. É otimo para “esquecer seus problemas”. No começo tive um pouco de dificuldade com os meus pés, por causa da dança, mas nada que com o tempo não fosse resolvido.

    O Muay thai não é violento como muitos acham, mas como toda luta e como todo esporte você pode se machucar. Não é começar a fazer aula e já lutar, você vai ter todo um preparo para isso, vai aprender as coisas basicas pra poder lutar. Muitas gente prefere não lutar, prefere treinar só no saco, escudo ou manopla, mas eu, partircularmente, gosto de lutar, gosto da adrenalina da luta, e no futuro bem próximo, pretendo começar a participar de campeonatos.’

    Viu? Siga o exemplo da Letícia. E, para ajudar ainda mais, amanhã eu vou trazer uma entrevista com Júlia Tolipan, cantora do Afro Reggae e uma das apresentadoras do programa Conexões Urbanas. Além de tudo isso, ela também é mais uma praticante de Muay Thai e uma companheira de treino. Saibam porque ela escolheu esta atividade. Não percam!

    Tem um depoimento também? Divida conosco sua experiência.

    Segunda-feira é muito conhecido como o dia de começar as coisas. É segunda que você vai parar de fumar. Na segunda que você vai se matricular naquele curso. Na segunda que você vai entrar para a academia e começar uma dieta!

    Ai, ai, ai… Vamos parar já por aí!

    Nada contra você estabelecer uma data para dar o pontapé inicial em projetos que parecem nunca começar e também nada tenho contra a segunda-feira. Porém tenho – e isso é um depoimento pessoal (regado com um pouquinho de conhecimento empírico e de papos com entendidos) – contra dietas.

    A menos que você seja uma atleta e esteja às vésperas de uma competição, a dieta não é o melhor caminho para emagrecer. Não acredita em mim. Ótimo! É para não acreditar mesmo. Converse com um nutricionista ou um médico sobre isso e ele vai te dizer o que acha das dietas da sopa, da lua, do suco… O que isso tem a ver com o Muay Thai? Tudo! Aliás, com a sua vida.

    Ainda mais se você pratica alguma atividade física ou mesmo se está começando agora. Resolvi abordar o tema porque como freqüento há alguns anos academia, como faço Muay Thai e como conheço algumas pessoas que conhecem do assunto (veja o post anterior) e, instruída por elas, já perdi (e mantenho) muito peso, muitos amigos e amigas vêm me pedir conselhos sobre alimentação e como emagrecer. E para nós, mulheres, esse assunto é um verdadeiro campo minado. Então, vai aqui um pouco da minha experiência.

    Mais uma vez reforço que você, antes de fazer qualquer coisa nessa área (assim como em qualquer outra), deve procurar a orientação de um profissional. Com este post, meu objetivo é estimular a procura por essa informação, tirar das mulheres a idéia de sofrimento e ser uma prova de que funciona!

    Quantas pessoas já chegaram perto de você dizendo que estavam de dieta e não comiam nada?! De fato, ao encontrar com essa pessoa depois de um tempo, ela pode ter emagrecido. Contudo, isso não dura muito. Aí, você topa com essa pessoa outra vez e, olha só!, ela parece mais gorda do que antes. Fala a verdade: você já foi assim?

    Pois é. O que acontece é que o ser humano tem o hábito de tentar o caminho mais curto. Mas, não tem jeito! Gente, para emagrecer, a gente tem que fazer uma atividade física, beber bastante líquido e comer com inteligência.

    A primeira rotina que você tem que tentar introduzir no seu dia-a-dia é comer de três em três horas. É o pulo do gato! Mudou a minha vida! A primeira vez que fiz, (era mais nova, portanto tinha mais facilidade para perder peso), emagreci 7 kg em duas semanas. Mas, já malhava regularmente. Depois de um tempo, abandonei este hábito e voltei a ganhar uns quilinhos.

    O que acontece é que por conta de horários loucos, compromissos profissionais, problemas da vida e etc, a gente acaba achando que é impossível fazer isso. Não é e eis o meu depoimento:

    No final de 2008, eu estava meio para baixo. Tinha, como se diz, chutado o balde. Estava triste com a vida, sem treinar direito e o resultado se viu na balança! Foi aí que eu falei pra mim: ‘Para! Tá tudo errado!’ Então, retomei minha rotina. Voltei a treinar e a comer corretamente. Perdi 11 kg e desde então mantenho meu peso. Como consegui isso? Com disciplina.

    Alimentos saudáveis

    Dieta balanceada

    Comer de três em três horas é importante por que você se habitua a comer porções menores de comida e estas pequenas quantidades, por sua vez, são melhores absorvidas pelo seu organismo, porque ele entende que – como receberá mais alimento em poucas horas – não precisa fazer grandes reservas; ou seja, menos gordura. É assim que acontece, falando em linhas gerais…

    Entendendo isso, vem o próximo passo: organizar  o que você come. No café ( e eu reforço, não pule o café da manhã), beba café, se você gosta, ou então um suco. Coma fruta. Duas fatias de pão. Dê preferência a embutidos sem gordura, como blaquetes; e patês, ao invés da manteiga e da margarina. Uma vez ou outra, tudo bem, mas no início, tente ser um pouquinho rígida com isso.

    Três horas depois, tome um suco ou coma uma fruta. Vá lá, pode ser um iogurte… Na hora do almoço, mais ou menos, três horas depois, equilibre o seu prato. Se for comer arroz, evite batatas ou massa. Se for comer massa, evite batatas e arroz. E assim por diante. A idéia é não misturar carboidratos. Coma salada. Muito verde, por favor. Uma carne grelhada ou cozida. Tente fazer um rodízio com peixe, carne vermelha e branca. Feijão é sempre bacana. Só não abuse!

    Três horas depois, uma outra fruta ou uma barrinha de cereal ou um suco. Mais três horas depois, um lanche. Um sanduíche com suco ou café. Três horas depois, jantar. Nessa hora, é legal evitar carboidrato. Opte por saladas verdes e grelhados. Ah, ovo pode também, mas tenha consciência da quantidade e do seu histórico com colestrol. Se depois disso tudo você ainda sentir fome, aqueles shakes são válidos, mas evite tomar muito perto da hora de dormir.

    Você vai perguntar: e chocolate? Doce? De início, eu – de novo, EU – em um primeiro momento, cortei todos os açúcares, por que eu queria um resultado mais rápido. Mas depois que me equilibrei, eventualmente, como na parte da manhã. À noite, eu evito, assim como os carboidratos.

    Meu resultado permanece. Essa é a minha rotina alimentar que, como você pode notar, não é nada sacrificante e perfeitamente possível. Agora, observe também que eu pratico atividades físicas regularmente. Uma alimentação balanceada ajuda a um treino melhor e o bom treino, ajuda a manutenção do peso. Quando você vê os resultados, faz a roda girar sem parar.

    Uma observação importante: peso, ao que me refiro, não é o da balança, mas sim ao seu percentual de gordura. Não estranhe se depois de um certo tempo, as suas calças entrarem melhor, aquele vestido cair bem e quando você for se pesar, notar que ganhou peso. O que você, na verdade, ganhou foi massa muscular e perdeu gordura. Aí então, seu peso vai se estabilizar e você vai poder controlá-lo. Abusa um pouquinho em um dia, segura a onda no outro.

    Lembro mais uma vez, que este post não é uma receita, é o meu depoimento e o meu incentivo para que você adote uma vida saudável. Vai ajudar na sua saúde, no seu dia-a-dia e, claro, no seu treinamento; seja malhando, lutando ou correndo. Procure orientação e monte uma rotina alimentar que se adapte às suas necessidades e ao seu estilo de vida. Funcionou para mim, com certeza, vai funcionar com você. Basta ter disciplina.

    E você? Qual a sua opinião sobre dietas? Deixe seu comentário.

    O post de hoje é mais do especial para mim. Primeiro, porque é uma entrevista com André Benkei, um dos profissionais que mais saca de preparação física no mundo (pra você não achar que estou exagerando, faça uma pequena busca no google pelo nome dele). Um dos nomes mais requisitados pelos lutadores de MMA (Mix Martial Arts) quando o assunto é bater peso. Veja esta entrevista da revista Tatame, por exemplo.

    Eu e André Benkei, nos Estados Unidos.

    Eu e André Benkei

    Segundo, porque morro de orgulho desse cara. Foi com ele que tomei gosto pela atividade física, pela boa forma, pelas artes marciais e pelo Vasco da Gama. Conheço ele desde de sempre, afinal, é meu irmão. E, com muita honra, divido com vocês agora um bate-papo sobre a importância da atividade física e do Muay Thai (bem como outras modalidades) para as mulheres.

    Direto de sua residência na Flórida, EUA, seguem as respostas que ele, gentilmente, deu às minhas perguntas. Como profissional, esportista e irmã, registro aqui, de público, meus agradecimentos e minha total devoção ao seu trabalho.

    Com vocês, a entrevista. Aproveitem!

    Blog Muay Thai Mulher: Antes de mais nada, por que é importante para qualquer pessoa e, em especial para as mulheres, fazer uma atividade física?

    André Benkei: Atividade física diária é fundamental para a saúde, assim como escovar os dentes ou tomar banho. Exercícios físicos são fundamentais para manutenção de uma boa saúde e longevidade e devem ser naturais para todos os indivíduos. As mulheres, muito mais que os homens, necessitam que essa atividade física seja vigorosa, pois possuem apenas 6% dos andrógenos (hormônios responsáveis pela vitalidade e aumento de massa muscular). Por mais contraditório que isso possa parecer aos olhos de nossas mães e avós, o aumento ou manutenção da massa magra (músculos) é mais importante para mulher que para o homem. Exercícios que aumentem a massa magra e que induzam ao aumento da produção dos andrógenos (esses hormônios estão ficando famosos) são de suma importância para a saúde e qualidade de vida de todos os indivíduos, mais fundamentalmente da mulher.  Só pra deixar claro os benefícios da atividade física em geral, os seguintes pontos são fundamentais:

  • Alívio de tensões emocionais: a atividade física é reconhecida como uma forma eficiente de aliviar o stress emocional, diminuindo assim um importante fator de risco para diversas doenças crônicas.
  • Melhora da composição sanguínea: os exercícios em geral tendem a normalizar os níveis de glicose, gorduras e diversas outras substâncias no sangue, que podem estar alterados e trazer riscos aos portadores.
  • Redução da pressão arterial: pessoas ativas fisicamente tendem a ter níveis pressóricos mais baixos, e os exercícios em geral auxiliam a diminuir a pressão arterial dos hipertensos.
  • Estímulo ao emagrecimento: qualquer tipo de exercício estimula a redução da gordura corporal, diminuindo assim a possibilidade da pessoa desenvolver doenças como a aterosclerose, o diabetes e outras.
  • Aumento da densidade óssea: o sedentarismo leva à uma diminuição progressiva da resistência óssea, aumentando o risco de fraturas, e os exercícios físicos constituem recurso de alta relevância para evitar e reverter essa situação.
  • Aumento da massa muscular: a atividade física habitual leva à um aumento do volume e força dos músculos, protegendo as articulações e favorecendo a aptidão física.
  • Desenvolvimento da aptidão física: os exercícios aumentam a capacidade das pessoas realizarem esforços, permitindo assim maior autonomia motora, condição conhecida como boa qualidade de vida.
  • Blog: Dentro da sua experiência pessoal e profissional com lutas, de que forma uma arte marcial como o Muay Thai pode trazer benefícios à saúde (e a estética) da mulher como uma forma de atividade aeróbica?

    A.B.: Primeiramente, vamos determinar o que é Muay Thai, essa arte marcial que se formou na região do Sião (hoje dividida em Miamar ou Birmânia, Tailândia, Lao e etc). Existem no ocidente, e principalmente no Brasil, escolas que se utilizam do rótulo de Muay Thai, mas, na verdade, são estilos de Kick Boxing (uma outra modalidade marcial). Como são diferentes estilos, demandam diferentes respostas na musculatura e na saúde tanto da mulher quanto do homem que praticam (isso nós vamos falar em uma outra oportunidade). O exercício praticado nas artes marciais, principalmente no que vamos chamar de “striking fights”, é muito interessante para as mulheres. Muito mais além da auto-confiança de se praticar uma arte de combate, os benefícios estéticos e para saúde são incomensuráveis. A mulher que faz uso dessa atividade como forma de exercício tem, nas primeiras lições, uma melhora na qualidade do sono e na disposição do dia-a-dia. Uma atividade de combate liga os nossos instintos ancestrais de sobrevivência e aumenta a liberação natural de GH, que é o hormônio da longa vida – o famoso elixir da juventude. Os músculos são exigidos, principalmente o que os americanos chamam de “core strenght” (força e estabilidade dos músculos da cintura, abdômem e lombar). O total esforço para se completar uma aula aumenta muito o limiar anaeróbico; ou seja, a intencidade que você consegue manter em uma determinada atividade sem “cansar”. Muito mais que o benefício aeróbico, esse fator anaeróbico te protege muito mais dos esforcos do dia-a-dia (não acho que você vai ter que correr cem quarteirões, mas acho que você vai precisar carregar compras ou mesmo mover objetos pesados de um lado para o outro). Concluindo, aerobicamente, eu não vejo um ganho tão grande, comparado a outras atividades fisicas regulares; mas vejo um enorme aumento no limiar anaeróbico e na forma estética da praticante.

    Blog: Existe algum malefício para a mulher que pratica ou quer praticar a luta apenas como atividade física?

    A.B.: Não. Um treinamento de luta, bem orientado e supervisionado por instrutores com formação em Educação física só pode ser benéfico para o praticante. Pode ser maléfico para os namorados e maridos (só os machistas), por que vão ter que conviver com uma mulher mais decidida e segura de si.

    Blog: Existem aulas de ginástica, como o Body Combat, que simulam movimentos de luta, e muita gente faz essas aulas acreditando que é a mesma coisa que uma aula de Muay Thai. Qual a diferença de ganho físico entre elas?

    A.B.: Body Combat, Tae Bo e outras atividades físicas vieram para atrair as pessoas e se utilizar dos princípios das escolas e estilos de luta para dentro das aulas de ginástica coletiva. É uma boa alternativa para as tão repetitivas rotinas de ginástica, mas bem diferente de se praticar uma arte marcial verdadeira. O objetivo dessas atividades é manter um determinado ritmo e executar movimentos de lutas com eles; não existe o contato físico, o stress do combate e as liberações e demandas hormonais são totalmente diferentes. Quando se pratica uma arte marcial, a competição nos faz avançar no esforço desprendido da atividade, isso manda nosso organismo agir de forma mais natural. O impacto e o contato físico promovem o ganho muscular, a mera repetição do ato (chutes e socos) é benéfica apenas a nível aeróbico (como visto antes, não são propriamente o mais importante na longevidade e qualidade de vida). Nada contra as ginásticas de combate, que ajudam a dismistificar o medo das artes marciais, mas nada subistitui o prazer físico e o equilíbrio emocional da verdadeira pratica das artes marcias.

    Blog: Qual a sua orientação, como professor de educação física e preparador físico de atletas de alto nível, para mulheres que nunca fizeram uma atividade física e que querem começar o Muay Thai?

    A.B.: Em primeiro lugar, procurem escolas com uma abordagem mais salutar e menos de desempenho. Um professor que queira passar a beleza e o prazer de praticar a arte, sem a pressão da performance ou da profissionalização. Existem muitos instrutores, que mesmo sem treinar grandes atletas das modalidades, passam a beleza e a satisfação das artes marciais de uma maneira muito mais saudável. Eu mesmo dou exemplo de um companheiro meu de trabalho que é um dos melhores do mundo na especialidade, mas não tem a paciência e a calma para passar a arte para iniciantes. A observação do grupo que você vai treinar e da formação do instrutor com quem você vai treinar são fatores determinantes de se escolher o lugar certo para iniciar. Hoje, saia da sua rotina, procure esse lugar mágico e descubra a beleza e a harmonia de se treinar uma arte marcial. Eu garanto que você jamais vai se arrepender. Osu!

    Curtiu o bate-papo? Ainda tem dúvidas? Deixe seu comentário.